quinta-feira, 23 de abril de 2015

Para fora da caixinha

Ele estava quase feliz.

E todas as coisas estavam em seu devido lugar. 

Porém, estava tão apático.

E as cores desbotavam em sua caixinha, tão bem construída.

Tudo está tão certo e definido nessa zona de conforto.

Mas ele precisa de um amor transbordante, que ultrapasse todas as medidas.

Ele precisa de algo que mova o seu mundo e tire tudo do lugar, se assim for preciso.

Ele precisa de drama, sim, e de loucura, desvario, delírio.

Talvez ele se desapegue da caixinha e abra o peito para os perigos dessa aventura.

As cores dentro de si combinam mais com o que está lá fora, pulsando.

Lá estão todos os azuis, amarelos, laranjas e vermelhos para sair do quase e ser feliz.

Lá está um coração que lhe espera e abraça sem medo.

Lá está uma vida que não se limita às funções orgânicas e está destinada a viver, sofrer, querer e amar junto.  

Basta querer.

4 comentários:

CÉU disse...

Bom dia, Bruno!

Isso, "minino", saia da caixinha, pke lá fora, há tanto pra viver, embora o tumulto seja grande, mas nené tb sai do ventre de sua mãe para este mundo cão.

Você escreve por prazer, e se for lido, tanto melhor.

Gosto do layout de seu blog. É um edifício brasileiro?

Qto à sua estadia na Argentina, já sei, de seis meses, você adorou o país, tanto assim k até lhe dedicou um post, não pensa voltar lá?

Não sei como está a situação económica/social no Brasil, a nível de emprego, mas aí é fácil arranjar emprego digno e compatível com nossas habilitações?
Faço a pergunta, não por mim, pke tenho situação estável há uns aninhos, no campo profissional, mas apenas por curiosidade.
Me desculpe tanta questão, mas sou curiosa e gosto de saber, é isso.

Deixei em meu blog umas palavrinhas pra você.

Um sorridente dia, porque lá fora está o "mundo "inteiro" te aguardando.

Abraço.

Bruno Mello Souza disse...

Olá, Céu!

Primeiramente, obrigado pelas palavras gentis.

Vamos às respostas:

1. Não, a capa atual do DC é da Plaza Mayor de Salamanca, cidade onde morei nos últimos meses.

2. Na verdade, estive na Espanha. Digamos que, sim, ainda quero voltar a Salamanca. É uma cidade apaixonante e que me cativou de maneira quase inacreditável. Não sei se voltarei a passeio ou, quiçá, para viver, se a vida me der essa possibilidade no futuro. Mas que gostaria de voltar, isso sem dúvida.

3. Olha, o Brasil melhorou bastante nos últimos anos em termos de emprego. Mas as condições para tal ainda são, infelizmente, precárias. E essa precarização tende a ser agravada nos próximos anos com uma lei de terceirização.

Abraço.

CÉU disse...

Olá, Bruno!

Tudo bem?
Eu sei k havia no meu espírito alguma confusão. Então, Salamanca é uma cidade espanhola. Virgem santíssima! Então, por que falei eu da Argentina? Talvez pela proximidade geográfica, em relação, ao seu país, talvez, mas, sinceramente, não sei.
Desculpa minhas confusões, por favor!

Então esteve bem pertinho de Portugal. Veio até cá, alguma vez?

Dia bem feliz.

Abraço, com carinho!

Bruno Mello Souza disse...

De fato, Salamanca fica quase na fronteira com Portugal. Quase fui a Lisboa, Céu. Mas no fim das contas tive que dar uma segurada no orçamento e desisti.

Um abração pra ti, e que tenhas um ótimo dia (ainda que por aí já seja fim de tarde).