sexta-feira, 27 de março de 2015

Tempos (quase) cruzados

Os tempos quase se cruzam.

Mas geralmente estou um pouco atrasado.

Em todo o campo de visão, eu poderia olhar para qualquer coisa aleatória.

Mas procuro seus olhos, até que eles me encontrem.

E eles sempre me encontram.

Então você sorri, e eu sorrio também.

Nesse segundo, tudo ganha um significado.

Nesse segundo, sinto-me existindo em sua existência.

Aí eu vejo que não preciso mais adiantar meu relógio.

Não estou mais atrasado.

O quase fica para trás.

E os nossos tempos finalmente se cruzam.   

2 comentários:

Patryck Leal Gandra disse...

Bruno Mello Souza,

Belo poema para os casais apaixonados!

Abraços.
Participe do Super Quiz:
Nono desafio

Bruno Mello Souza disse...

Valeu, Patryck!

Abraços.