quinta-feira, 19 de março de 2015

Ser universo

Estou neste tempo, não quero fugir.

Sou tudo, sou todos, em todos os dias e lugares.

Em quantos mundos estou neste exato momento?

Estou em qualquer um, menos no meu.

Me consumo no receio de partir, ou de mudar de estação.

Reúno todas as dores, todas as cores, de cada um de nós. 

Sou o próprio universo, e tanta grandeza às vezes me assusta.

Viver é um milagre, e quantos milagres restarão ao final?

Onde sou amor, onde esconde-se o segredo, onde está o sentido?

Sou o início e o fim, e o tudo sem mim resume-se à mera inexistência.

Nenhum comentário: