domingo, 29 de março de 2015

Impermanência e eternidade

Não há motivo para temer a morte.

Pois morremos a cada segundo.

E renascemos imediatamente.

Não há motivo para temer a vida.

Pois qualquer sensação de controle é pura ilusão.

E de um modo ou outro, tudo é impermanência.

A ironia é que nesta impermanência nós somos permanentes e eternos.

E cada palavra, cada riso, cada sensação, tudo fica nos lugares por onde passamos.

Tudo que um dia existiu está fadado a existir para sempre. 

Tudo que um dia foi vivo e pulsou, viverá para sempre.

Nenhum comentário: