quarta-feira, 25 de março de 2015

Fora do radar

Mais uma vez, sobraram apenas seus destroços.

É assim depois de cada explosão.

Tanta energia se foi, tantos rumos se perdem.

Seu coração está fora do radar.

Ele ama tanto que seu estômago dói.

O silêncio é uma sentença condenatória.

Para não cair, terá de voar eternamente.

A verdade está no espaço não preenchido entre cada palavra.

E isso é tudo o que sobrou para o momento.

Nenhum comentário: