sábado, 28 de fevereiro de 2015

Decomposto

Lama, quanta lama!

E todos estão em volta.

Esse cheiro é terrível.

Isso em sua cara é salgado?

Saiu dos recôncavos da minha garganta!

Você é um ladrão, você não se importa.

Saliva nas botas, explore mais.

Está tudo apodrecendo enquanto você arreganha seus dentes.

Isso é tão pouco, tão mesquinho!

Pegue sua mangueira, regue as flores.

Germine mais pobreza, faça nascer pequenas pestes.

Tudo está contaminado, não piso mais aqui,

Será decomposto, ficará abaixo do solo.   

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Orfeu e Eurídice

Éramos completos, um do outro.

Cada nota doce de minha lira pertencia a você.

Mas a vida é uma fatalidade.

Quando eu mais amava, te perdi.

Não desisti, atravessei águas e almas agonizantes.

Dobrei o inferno para levá-la de volta comigo.

Mas eu não podia lhe olhar enquanto o sol não beijasse seu rosto. 

Na subida, tanto amor e esperança.

E naquele querer poder te querer, eu errei, eu lhe olhei.

Você ainda estava nas sombras, e nelas teve de ficar, prisioneira.

Ah, meu amor, me perdoe.

Foi num lapso que lhe perdi.

E seu grito ecoa nas paredes de minha alma.

Meu martírio mais profundo e cheio de remorso.

Não me despedi, querida, seu brilho não morreu em mim.

Juro, sou apenas seu.

Seu apenas, serei para sempre.

E ficarei nas sombras por você.

Sou um triste Orfeu, com minha lira em lamento eterno.

Sou a dor que não cessa, desesperadoramente imortal em minha solidão.

Sou o amor no mundo dos mortos, a melodia da desesperança.

Linda Eurídice, ficarei aqui até que tudo se esgote.

E esperarei a liberdade, que talvez nunca chegue.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Coreografia

Ela corre pelo gramado com seus pés descalços.

Eu corro, eu tropeço com meus tênis furados.

Talvez eu nunca a alcance.

Ah, seria bom se conseguisse.

Mas brincar assim já me deixa um tanto contente.

Ela sorri de um jeito que só ela consegue.

Eu sou esse sonhador que ri, que chora, que não quer perdê-la de vista.

Fazemos uma coreografia de movimentos desajeitados.

Ela, graciosa; eu, engraçado, perdendo-me com minhas próprias pernas.

É tudo simples e grandioso, porque aqui e agora tudo faz sentido.

Somos o próprio universo e todas as suas respostas.

Compartilhamos um momento doce, não nos perdemos um do outro.

E podemos rolar, e podemos nos observar. 

Luz divina em seus olhos que brilham.

Nos meus, esse amor intenso a tudo que ela me traz. 

E eu tenho algo em que posso pensar todas as noites.

E eu tenho sonhos para sonhar, mesmo que nunca mais acorde.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

A simplicidade de seus traços

Eu acordei pensando em você.

E na verdade, perdi o sono também.

Quantas estrelas consigo enxergar neste céu aberto?

Apenas uma, apenas a sua.

Fiquei bobo, perdi o prumo.

Meu coração pulsa independente da minha cabeça.

E nem percebo que estou andando por essas ruas.

Pois sempre estou num lugar que não existe.

Então eu não peço nada.

Deixe-me admirar a simplicidade de seus traços.

É assim que meu mundo fica mais bonito.

Apenas me desculpe.

Não posso me livrar dessa alucinação reconfortante.

Não posso me livrar daquilo que está soterrado no meu peito.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Dor de cabeça

O riso é uma mentira.

E você pensa que a estupidez é insuficiente.

Estou fingindo que não entendo.

Minha cabeça dói, eu já nem me importo.

Todos continuam sendo insignificantes.

Minha cabeça dói, eu já não me incomodo.

Os reis e os mendigos são igualmente miseráveis.

Um remédio qualquer vai curar minha dor.

Mas a mediocridade que contamina esse seu ar é incurável.

Todos correm, todos andam, não sabem para onde.

Eu resolvi parar e observar.

Pisoteados por seus próprios sapatos, não conseguem respirar.

Aproveito o tempo, não preciso mais me desgastar.

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Tantos são...

Tantas são as palavras de tanta gente que não tem nada de genuíno a dizer.

Tantos são os que fingem se preocupar e buscam apenas alguns aplausos que ecoem em seus egos.

Tantos são os que tentam mostrar que sabem tudo sem saber absolutamente nada.

Tantos são os parasitas que sugam toda a energia contida na palavra "amor".

Tantos são os que mentem, banalizam.

Tantos são os que distribuem moedas de um centavo como se fossem o último dos tesouros.

Tantos são os corações de plástico. 

Tantos são os que nunca perdem.

Tantos são os que sabem o jogo.

Tantos são os que vivem para satisfazer a máquina que os tritura todos os dias.

Tantos são os que se orgulham do que está fora, mas são estranhos a si mesmos.

Tantos são os escravos de seus próprios rótulos.

Tantos são os que distorceram os nossos significados com sua mesquinhez.

Tantos são os que matam sonhos por objetivos que apodrecerão logo adiante.

Tantos são os que me dão náuseas.

Tantos são os que não vivem, nunca viveram... 

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Maneiras duras

Enquanto a noite ia embora e as estrelas se despediam, eu estava errando novamente.

De volta ao lar, eu fiz você chorar.

Mas é tão bom quando lhe encontro.

Aprendi a prestar atenção a todas as ameaças.

Agrido a mim mesmo, não posso machucar você.

Aprendi a vigiar todos os movimentos enquanto caminho pelas ruas.

As paranoias às vezes tornam-se realidade.

Então eu lhe contamino com meus fantasmas.

E eu tenho medo que alguém lhe leve a qualquer momento.

E eu tenho medo de ser culpado disso.

Isso me fez um pouco mais perfeccionista, tudo pelo seu sorriso.

Não posso ter o meu coração arrancado, não agora.

Estou acuado em minhas defesas.

Eu só queria dar-lhe a minha mão.

No solavanco, quase derrubei você.

Eram só minhas maneiras duras de dizer.

Eu precisava lhe proteger, eu precisava ver o seu melhor.  

Perdoe-me, você decifrou minhas palavras para além de qualquer explicação.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Alma na alma

Foi desde o primeiro momento.

Em seus olhos, tenho minha distração favorita.

Alma na alma, sublime aliança.

Os movimentos, perfeitos, como num belo roteiro de filme.

Tais movimentos, imperfeitos, me trouxeram até aqui.

Eu sei que é uma bobagem.

Frente a frente, mais próximos e mais próximos.

Mas haverá um escudo, uma proteção.

Veja bem, estou bastante exposto assim mesmo.

Ah, os sentimentos, sempre desconhecendo fronteiras.

Desconhecendo fronteiras do bom senso.

Talvez isso seja excessivamente triste.

Talvez isso seja excessivamente necessário.

Na verdade, isso é uma bobagem.

Tudo que um dia se atreveu a existir está fadado a ser eterno.

Então me abrace e me convença de que existo.

Me abrace e me convença de que eu sou um erro.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Um grão de areia

Quais são as coisas que deixamos pelo caminho?

Eu permanentemente me despeço de mim.

Quais são as coisas que ainda ficam, e nos fazem ser o que somos?

Sou água do rio, que se vai na correnteza, mas ainda carrega uma mesma força vital.

Cada pedaço da eternidade é efêmero.

Vamos morrendo aos poucos para continuar vivendo.

Tão pequenos, um minúsculo elo da corrente.

Tão grandes, eternos por existirmos.

Em algum ponto dessa vastidão, ainda seremos algo.

Tenha essa certeza, guarde essa certeza.

E quando eu for apenas um grão de areia, ainda levarei todo esse amor.

E quando formos apenas grãos de areia, quero que você seja o grão de areia que fica exatamente ao meu lado.

E serei um grão de areia feliz, contendo toda a luz do sol e todo o brilho da lua.

E serei um grão de areia radiante, contendo todos os significados de uma vida que jamais irá deixar de existir.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

A caixa de preservativos

Sérgio adentra a farmácia:

- Olá, boa tarde.
- Boa tarde, senhor. Em que posso ajudar?
- Eu gostaria de comprar um preservativo.
- Aqui só temos em caixas de doze, senhor.
- E quanto custa?
- 25 reais.
- 25 reais?
- Isso, senhor...
- Nossa...
- Infelizmente, é o preço... Mas de repente o senhor pode ir ao supermercado e...
- Não, não! O preço é ótimo. É que nunca imaginei que com apenas 25 reais eu garantiria sexo seguro para os meus próximos 35 anos!

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Aprecie o caminho

Não há promessas ou juramentos que ultrapassem o agora.

E nós sabemos que o agora é eterno.

Então, nada pode ser maior do que isso.

O máximo era tão mais simples, consegue perceber?

Onde está o amanhã? Não podemos tocá-lo.

Aqui estamos, e a velha vontade do instinto.

Algo mais importa para além do que somos neste momento?

Os caminhos são tortos, e você não sabe como chegar.

Mas isso não faz a menor diferença.

O oásis talvez seja uma mentira.

Você procura por si ao longe, mas já se encontrou.

Você procura por si ao longe, mas você está em cada passo que dá.

Então aprecie a paisagem, e deixe o vento beijar sua face.

Então aprecie o caminho, e deixe-me beijar sua face.   

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Talvez(es)

Talvez cem trilhões de passos não sejam suficientes.

Talvez cruzar um oceano a nado não me leve a nada.

Talvez todo o meu sangue não fertilize esta terra.

Talvez todas as noites de sonho não tornem meus dias reais.

Talvez todas as lágrimas sejam apenas água e sal, escorrendo lentamente pelo ralo da minha vida.

Talvez toda cumplicidade se torne repulsa.

Talvez a interrogação eterna seja exclamação por si mesma.

Talvez todo o amor do mundo seja deveras limitado.

Talvez todo o universo seja demasiado restrito quando se tem tudo o que existe sem se ter o que se quer.

Talvez não haja um fim, e eu seja minha única certeza.  

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Sem saída

A sala está cheia.

Você nunca pode entender o que ocorre.

Os dedos apontam para sua cara.

Mas você nunca pode entender o que ocorre.

Agora do lado de fora, para onde vai?

Agora do lado de fora, o que vai fazer?

As ruas estão cheias.

Você nunca pode entender o que ocorre.

As armas apontam para sua cara.

Mas você nunca pode entender o que ocorre.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Máscaras de carnaval

As luzes piscam intensamente.

Todos os efeitos são baseados em alucinações.

Mostre o rosto que está por baixo dessa máscara.

Mostre quem você é por baixo desse sorriso.

Tudo se evapora com o amanhecer.

Todo ardor e desejo viram fumaça.

Não temos nome ou sobrenome, nunca tivemos.

Tudo se acaba, e desaparecemos.

Eu morri mais uma vez.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Dicas para fazer comentários sem noção contra o governo do PT em qualquer notícia dos portais

O pessoal que odeia o PT e qualquer coisa próxima ao governo federal possui uma ânsia de comentar e fazer ilações em toda e qualquer notícia.

Por exemplo, há poucos instantes, eu lia uma matéria sobre funcionários no Acre que estariam numa "fila da morte" por terem trabalhado nas décadas de 80 e 90 com determinado tipo de inceticida.

E adivinhem: o primeiro comentário dos "leitores" era: "Esse pessoal do norte e nordeste merece esse governo corrupto que tem!"

Então resolvi ajudar estes mártires da falta de noção a fazerem seus comentários incoerentes em várias manchetes atuais, desde esportes até culinária, usando como base alguns dos destaques do Globo.com. 

Vamos lá!

1. Timão pega o San Lorenzo de portão fechado
Comentário: Bem feito! É o time do Lulla, aquele PeTralha corrupto! Vão jogar futebol em Cuba!

2. Felipão saúda área mista no Gre-Nal
Comentário: Felipão é uma vergonha, esse treinador do 7 a 1! Tinha que ser o técnico da Copa dos PeTralhas! Vexame da seleção e desses corruPTos!

3. Cora morre após tiro em "Império"
Comentário: É uma vergonha essa falta de segurança. Até na novela as pessoas são assassinadas. Esse é o país da PeTralhada! Cidadão de bem tem que ficar escondido em casa! Impeachment já!

4. É carnaval em Salvador! De top, Scheila Carvalho beija o marido em cima de trio
Comentário: Esse é o país do PT! Carnaval, corrupção e pouca vergonha! É só putaria! E vamos comemorar a roubalheira!

5. De shortinho, Marina Ruy Barbosa exibe a barriga chapada e diz que come de tudo
Comentário: Enquanto isso, tome roubalheira dos PeTralhas! Ela come de tudo, mas eles comem o nosso fígado com esses impostos escorchantes!

6. De direita, de canhota... Snejder esbanja e faz dois golaços para o Gala
Comentário: Esse Snejder eliminou o Brasil da Copa de 2010! Governo de quem? Lula e seus PeTralhas amestrados! Vergonha desse país!

7. Caça-Rato vai ao salão caprichar no visual e fala dos planos para o carnaval
Comentário: Quando é que esse Caça-Rato vai caçar os ratos que estão nos roubando em Brasília? Fora Dilma! Fora PeTralhas!

8. "Pronta para arrasar", Susana Vieira emagrece para encarar a Sapucaí como rainha
Comentário: Até a Susana Vieira perdeu o bom senso com esse governo PeTralha! Fora ladrões!

9. Foto de Messi desolado a caminho de ser premiado vice da Copa ganha prêmio
Comentário: Nem prêmio fotográfico o Brasil ganha! Os corruPTos agradecem! É o país dos PeTralhas que só nos envergonha! Impeachment já!

10. Aprenda a fazer um sorvete delicioso que leva leite condensado e calda
Comentário: Receita de doce todo mundo sabe! Quero ver quem tem a receita pra tirar a ditadura PeTralha do poder! Fora Dilma!   

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Não fique tão zangada

Seu foco se desviou, por que o meu não poderia?

Tudo foi uma fuga, uma pequena provocação.

Meus olhos ainda brilhavam, mas você não me olhou.

Então eu olhei para outro lugar.

Mas nada mudou, nada mudou.

E tudo se dissolveu com o seu incômodo.

Não fique tão zangada, você ainda me encanta.

Não fique tão zangada, embora fique linda assim.

E se você precisar fazer alguma pergunta para ele, faça.

E se você precisar contar o seu dia para ele, conte.

E se você precisar rir de alguma coisa junto com ele, ria.

Eu vou olhar para o outro lado.

E vou fingir que você não existe.

Temos a mesma moeda para trocar.

E eu não aceito ser tirado do meu lugar.

Mas nada vai mudar, nada vai mudar.

Tudo se dissolverá com o seu incômodo. 

Então não fique tão zangada, você continuará me encantando.

Não fique tão zangada, embora fique linda assim.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Despertar dos sentidos

Sua solidão é tão doce.

Não há nada lá fora.

Seu tempo não existe mais.

Não existe nada lá fora.

Tão bons são esses odores.

Tão bela é essa visão gelada da vida.

Tão profundo é este silêncio.

Desperte os seus sentidos.

E apenas esqueça tudo.

Como se esquece?

Apenas esqueça.

Como é ser esquecido?

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Espelhinhos e badulaques

Estão todos nos seus postos.

E não importa se está frio.

Isso bem poderia ser um grande frigorífico.

Eles começaram, eles vão até o fim.

O ritual inclui cada pequeno detalhe.

Isso pode ir ainda mais fundo.

Mais fundo e mais fundo.

Quem vai limpar essa sujeira toda pela manhã?

Compra e venda, capital negociável.

Os atrevimentos são relativos.

E o inaceitável torna-se pura ingenuidade.

É o novo mundo, terra à vista.

Traga um espelhinho, traga um badulaque.

Um idioma distinto pode resolver todos os seus problemas.

Tudo está perfeitamente alinhado para a destruição.

Chegou a hora da encenação de liberdade.

Chegou a hora dos risos enlatados.

Mas os próximos dez minutos não têm importância alguma.

Ninguém tem certeza de que eles existirão.

É apenas um novo jeito, um redescobrimento.

É apenas um novo flash sobre os animais exóticos.

Recém descobertos.

E tão contentes.

Recém descobertos.

E tão felizes.

Recém descobertos.

E tão satisfeitos.

sábado, 7 de fevereiro de 2015

Labirinto mental

Por favor, mostre-me como fugir da minha mente.

Eu estou sempre me batendo contra as paredes.

Monstros chegam à noite.

Eles são uma mentira.

E tudo é uma armadilha.

Então mostre-me como fugir da minha mente.

Tudo fica tão pesado e difícil.

Diga-me que meus pesadelos não são reais.

O silêncio faz muito barulho.

Já não tenho mais ar, estou perdido em meus labirintos.

Qualquer sombra me assusta.

Qualquer pequena trama me suga.

E mergulho neste buraco negro.

E sou triturado até os ossos.

Então diga-me que não tenho como fugir da minha mente.

Não tenho como fugir da minha mente.

Não posso fugir da minha mente. 

O melhor lugar do mundo

O melhor lugar do mundo não é o melhor quando me sinto assim.

Porque o melhor lugar do mundo é onde você está.

O melhor lugar do mundo é quando estou perto de você.

Não há flor ou beleza.

Não há cor ou cenário.

Não há luz ou estrela.

Tudo murcha sem o brilho do seu sorriso.

Tudo morre sem a vida do seu olhar.

Sem mar ou terra, quero apenas o céu.

E assim eu voo, procurando por você.

De dentro de mim, o fim, tudo o que não posso ver ou tocar.  

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Pequeno Leo

Ela não queria, ela não poderia conviver com aquele fardo.

É o simples fardo de ser um pouco humano.

E por que ele não mereceria ser amado?

Ele ainda guarda a pureza de quem não conhece o mundo.

Vai lutar e sobreviver.

Vai lutar e sorrir.

A ignorância corrói e dilacera.

Amores de verdade não cabem numa lixeira.

Ela não pode amar nada, não ama nada.

Ele não terá o afago, não terá o aconchego.

Mas nada lhe faltará.

E ele será feliz.

Porque ele é realmente especial.    

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Passageiros sem destino

Aquele dia chuvoso nunca vai terminar.

Uma melodia, uma lembrança.

Somos passageiros sem destino.

Explicações, elas não existem.

Persistimos assim, cegos.

Tudo termina, no ar está a resposta.

Não há despedida, parece tão fácil voar.

Então onde está você?

E onde estão as estrelas?

Já não as vejo.

Eu não posso vê-lo.

Ainda chove, aquele dia nunca vai terminar.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Mente escravizada

Me traga algo que me distraia esta noite.

Tudo se choca, mas podemos sair vivos.

Leve-me algo para me alimentar enquanto eu estiver livre.

Não sei como chegar, mas sei que chegarei.

Fuja das mentiras de lá fora.

Eles querem manter sua mente escravizada.

Eles lhe mantêm alimentado, mas nunca saciado.

Seu suor, seu sangue, suas lágrimas são a nobre bebida em suas taças.

Eles comercializam sua alma.

E mergulhado em sua vaidade, você pensa que é algo.

E mergulhado em seu ego, você pensa que tem alguma importância.

E mergulhado em formas disfarçadas de conteúdo, você faz um brinde enquanto sua carne é moída pela máquina.  

Irrelevâncias

Eles se acham grandes.

São apenas bactérias.

Eles vivem para parecer.

São apenas espectros.

Eles dizem o que é relevante.

São apenas baratas procurando por migalhas no chão.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Tesouro guardado

Às vezes é difícil saber por onde começar.

Mas o primeiro passo tem de ser dado.

Nós sabemos bem dos tesouros que temos guardado.

E sabemos melhor ainda o porquê de deixá-lo onde está.

Mas tudo sempre pode mudar.

O tempo já não importa, temos nosso mapa.

E sempre saberemos onde encontrar nosso ouro, só nós sabemos.

Ele está seguro, não está abandonado.

É aos poucos que vamos adquirindo a certeza e a sabedoria.

O universo tem seu ritmo, e dele não podemos duvidar.

Toda maçã tem seu momento exato e perfeito.

Então não façamos nossa pressa acabar com a perfeição dessa obra.

Quando nosso espírito estiver rico o suficiente desse amor, a hora terá chegado.

Sim, nós saberemos.

E então poderemos abrir nosso baú sem qualquer medo, receio ou remorso.

E desfrutaremos de todo o brilho intenso, de toda a beleza de todas as coisas.

E criaremos nosso mundo, sem necessidades ou misérias, apenas com contentamento, paz e felicidade.    

domingo, 1 de fevereiro de 2015

Mesmo que tudo acabe

Sou dono deste exato instante.

Não me importo com certezas.

Deixo-me banhar pela luz do dia.

Porque de algum modo sei que vou lhe ver.

Os anjos erram o alvo, erram o alvo.

Eles sempre fazem isso, sempre fazem isso.

Mas eu não me importo mais com certezas.

Você consegue reparar quando meus olhos chegam ao fundo dos seus?

É nesta fração de segundo que me liberto.

E nada mais tem relevância alguma.

Ganho o dia, ganho o mundo.

Mesmo que você não saiba, mesmo que nada seja real.

Mesmo que o tempo siga, mesmo que tudo acabe.