segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Garota (des)iludida

Ela sai de casa, só vê sombras.

Ontem ela perdeu tudo, de novo.

E morreu, e sobreviveu.

E morreu, e sempre quis mais.

Tudo ficou cinza novamente.

Ela esteve linda para a noite passada.

Ela havia esperado tanto, sempre esperou tanto.

Mas ela perdeu tudo, de novo.

No meio da pista, ela se despedaçava.

Ela se foi com a fumaça do gelo seco.

E nem sequer foi notada.

Seu coração fica tão perto do alvo, mas ninguém jamais o vê.

Era tão cedo, ela queria ir embora.

Era tão tarde para não ficar lá mastigando sua dor.

Ela morreu, e agora é um fantasma.

Ela morreu, e ainda quer mais. 

Nenhum comentário: