terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Despertar

Ando em meio ao nada, e mantenho-me preso aos meus pensamentos.

Sinto como se o fim deste sonho fosse inevitável.

Houve dores, e muitas, intensas, profundas.

Mas o que tive de mais lindo compensou tudo.

Eu não queria que a estrada terminasse tão cedo.

Porém, algo me suga e leva a crer que, sim, falta pouco.

Foi tanto que eu quis.

Foi tanto que amei, e amei, e amei.

Não sei exatamente o que deixo.

Mas deixo o que de melhor pude fazer.

Sinto um pouco de medo, e vou evitando minha verdade derradeira, prorrogando esse bonito cenário com um cochilo a mais.

Entretanto, enfrento, mesmo hesitante.

E, quando eu fechar os olhos, não chore.

Estarei despertando.   

2 comentários:

Fernando disse...

Olá Bruno. Começo 2015 com mais um dos seus belos versos. Que você tenha um ótimo ano e sempre com grandes textos.
Abração
Blog Fernu Fala II

Bruno Mello Souza disse...

Muito obrigado pelas palavras, Fernando. Te desejo um ótimo 2015.

Abração.