segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

A ilusão do tempo

O tempo corre tanto que parece ter parado.

Ele sempre foi uma grande ilusão.

Sonhamos com a eternidade.

Mas será que ela não é muito pouco tempo?

O agora é tudo que tenho.

E ele é sempre tão sólido.

Mas ele escorre tanto por entre meus dedos.

A vida, tão frágil, é tudo o que temos.

E ela escorre entre nossos dedos a cada segundo.

Sinto-me tão louco quando estou lúcido.

E o que devo fazer enquanto meus sonhos corroem meu estômago?

Talvez eu precise de ar, ou de vento em meu rosto.

Eu amo, eu amo, eu não sou real.

Eu amo, eu amo, e nada é real.

Eu sonho, eu sonho, mas eu não sou real.

Eu sonho, eu sonho, mas nada é real.

Nenhum comentário: