sábado, 13 de dezembro de 2014

Presente ausente

Há tantos anos aquelas estrelas já se apagaram.

Mas ainda brilham neste céu.

São nossos diferentes tempos que não nos mantêm aqui e agora.

É o passado imutável.

É o futuro que nunca chega.

É o presente, sempre ausente.

Segure minha mão, e não a solte mais.

Mantenha-me aqui, cole os pedaços do meu coração.

Deixe-me firme, cubra-me quando eu estiver congelando.

Preciso de algo que prove para mim mesmo que eu existo.

Nenhum comentário: