quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Loucos

O chão está sujo daquilo que somos.

Sim, às vezes vomitamos nossas almas.

Estamos entregues ao que somos, completamente loucos.

Eles dizem que podíamos ser tanto, e que somos tão pouco.

Mas não, somos tudo o que há.

E em nossa insanidade encontramos nosso alimento.

Em nossa perdição, encontramos nosso caminho.

Não somos iguais, não queremos ser.

Nosso sentido é a falta de sentido.

Cada um sozinho, com sua própria insensatez.

Todos juntos, queimando papeis e pintando a rua.

Sim, ainda seremos derrotados mais algumas vezes, sob os lençóis numa noite fria, ou olhando para este chão imundo.

Mas quando o mundo gira, apenas giramos com ele.

E deixamos apenas que tudo o que é continue sendo.

É na capacidade de permanecermos loucos que reside nossa maior glória.

Nenhum comentário: