quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Descobrindo belezas

Toda chuva passa, você sabe disso.

E há sempre o velho guarda-chuva, você sabe melhor que ninguém.

Nessa paisagem às vezes morta, há sempre uma nova beleza a descobrir.

Pode ser um paralelepípedo fora do lugar, debochado, zombando da ordem dos seus pares.

Pode ser uma folha no chão, ou uma pegada.

Pode ser um cesto de maçãs na feira.

Ou pode ser um copo de cerveja gelada na sexta-feira.

Sem necessidade de dor ou lamento.

Você sabe disso, você sabe melhor que ninguém.

Viva o que você tem de melhor, e que está aí dentro.

E não deixe que nada desfaça seu sorriso.

E não deixe que nada ofusque seu brilho, pois ele é único. 

2 comentários:

Arthur Claro disse...

Muito bom esse texto, parabéns.

Arthur Claro
www.arthur-claro.blogspot.com

Bruno Mello Souza disse...

Muito obrigado, Arthur!

Abraço.