sábado, 29 de novembro de 2014

Longe da realidade

Em cada canto, encontro fragmentos de mim.

Mas não consigo me completar.

Então vasculho mais e mais.

Nesta mesa, eu e o copo, olhando-nos fixamente.

É minha única companhia, tudo que ameniza.

É minha fuga, tudo de que não preciso.

Sob a luz baixa, vejo os dentes.

Muitos e muitos dentes, por todos os lados.

Todos estão rindo e falando animadamente.

Sou sempre um observador fora do cenário.

E pra eles tudo parece fazer tanto sentido.

Para mim, tudo é distração.

Busco apenas alguma ilusão para fazer o tempo passar.

Estou longe da realidade.

E vivo aquilo que não existe para ter um motivo.

Porque à noite, tudo será igual.

E eu acho que todas serão exatamente assim.

Carregando sonhos para o travesseiro.

Entregando-me a um mundo em que eu possa ser o que quero.

Aconchegando-me no abraço cujo significado não posso conquistar enquanto estou acordado.

Nenhum comentário: