quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Fragmentos

Sob a luz da lua, você é o contraste.

E no frio, as chamas se acendem em seus olhos.

Não há solidão quando fantasmas surgem logo acima de sua cama.

E então o que você preferia enquanto encarava seus medos?

Com as pernas tremendo, e o sangue congelado, onde estão todas as certezas?

O que surge entre as nuvens não era bem o que você esperava.

Você acredita no que não conhece, prometendo sobre bases erradas.

As mesmas palavras têm tantos significados diferentes.

É nessa hora que nosso mundo convulsiona e entra em erupção.

Procuro proteção, escondo meu coração em algum canto a salvo enquanto corro da lava que desce inapelável.

Abandono a mim mesmo e sou engolido.

Mas eu não podia fugir da fuga.

Por favor, acredite no que não digo.

E recolha meus fragmentos espalhados pelo chão.

Juntos sobre a mesa eles farão algum sentido.

Nenhum comentário: