sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Destino errado

Mãos vazias, meu tempo está indo embora.

Na verdade não sei se tenho esperanças para esperar.

Dentro de mim, chove e faz sol.

Não tente me entender, por favor.

Eu precisava de algo mais para me alimentar.

Mas agora talvez eu saiba qual é o meu lugar.

E talvez eu saiba que nada me tirará de lá.

Mas eu precisava de algo mais para me alimentar.

E talvez agora eu saiba quem eu sou.

Haverá como reescrever essa história?

Não há nada para entender, se a culpa é toda minha.

Eu me envolvi nessa areia movediça, eu sabia o que aconteceria.

E agora estou levado até o pescoço.

Tudo se foi sem sequer ter chegado.

E jamais chegaria...

Porque nem sempre os sonhos fazem sentido.

Se eu tivesse alguma certeza, eu lutaria, juro.

Mas sei que a culpa é toda minha.

Pois sempre escolho o lado errado da estrada.

É o ciclo eterno da minha existência.

E continuarei andando por esse caminho.

E continuarei sendo um bobo incorrigível.

Porque meu destino é o destino errado.

Nenhum comentário: