quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Voe, coração

O mundo não me deixa parar.

Ele gira, e gira, e eu vou junto com ele.

Toda a inércia é ilusória, algo sempre está acontecendo.

Abro o zíper em meu peito.

Voe, coração.

Voe, e traga algo de bom da imensidão do céu.

Por trás das nuvens, há sempre um azul intenso para deslumbrar.

Voe, coração.

Voe, e traga mais amor em suas asas, para aqueles que ficaram.

Depois da vida, há sempre mais vida.

Depois do inverno, há sempre as cores da primavera.

E tudo está sendo cuidado para que um doce sorriso lhe acolha de volta para o calor de uma chama que nunca se apagará.

Nenhum comentário: