domingo, 2 de março de 2014

Estilhaços

Mais um dia vai embora.

Mais uma noite vazia, gelada.

Foi-se a tempestade, ficou o caos.

Nada no lugar, nenhuma satisfação.

Meu coração, estilhaços.

Respiração difícil, peito pesado.

Sinto dor, não posso gemer.

Estou angustiado, tento sorrir.

Acorde-me quando isso acabar.

Acorde-me quando eu finalmente puder descansar.

2 comentários:

B. disse...

Estilhaços, um dia serão unidos, quando menos se espera, quando menos se quer. A grande questão é saber lidar com a dor que esses estilhaços provocam.

Bruno Mello Souza disse...

Concordo contigo, B.

Muito obrigado pela participação, é sempre muito bom te receber por aqui.

Beijos.