terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Um novo mundo...

Estamos perto do portal, chegou a hora da decisão.

Eu não queria ir, mas não consigo mais suportar o que vejo.

Procuro um lugar novo, onde tudo seja diferente.

E agora estou prestes a encontrá-lo.

Fique aqui, se quiser, e não precisa chorar.

Este mundo é a morada onde tenho paz.

Um mundo em que as pessoas podem viver e morrer por amor.

E no qual pedaços de papel são apenas pedaços de papel.

Um mundo em que as máscaras podem ser jogadas ao chão.

E no qual as flores são mais importantes do que as espadas.

Um mundo em que a liberdade é um bem compartilhado.

E no qual a luz do dia aquece, mas não queima.

Um mundo em que temos alma, e não apenas carcaça.

E no qual o anoitecer refresca, mas não congela.

Um mundo em que nada tem preço, mas todos têm valor.

E no qual as lágrimas são companheiras inseparáveis do riso, e não da dor.

Sim, estamos perto do portal, e eu já tomei minha decisão.

Quero ir, quero voar para onde minhas asas não queimam.

Encontrei meu lugar, e lá tudo será diferente.     

2 comentários:

B. disse...

Lembrei de "vou-me embora para Pasárgada", haha. Quisera eu que o nosso mundo fosse realmente assim, mas, atualmente, esta é uma visão utópica...

Bruno Mello Souza disse...

Completamente utópica, eu diria, B.

Beijos.