terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Bálsamo e salvação

Quando a escuridão é profunda, um novo raio de luz atordoa os olhos.

Acomode sua visão, espere e acostume-se ao novo tempo.

Pare de mastigar a dor, cuspa no lixo.

A caminhada desgastou, o cansaço consumiu, e você deita no chão.

Mas ainda deve levantar e andar mais um pouco.

Este será o bálsamo e a sua salvação.

Todas as mentiras vindas dos primórdios desmancham-se, levadas pelo ar como as mais leves cinzas.

E com elas se vão as migalhas que nunca lhe alimentaram.

Deram-lhe a liberdade de ser um prisioneiro.

Restou revoltar-se, dançar, gritar e voar.

E se a vida for mais do que o medo da morte, você estará pronto para isso?

E se tivermos de atear fogo em nossos castelos de areia, você terá condições de suportar? 

E no dia em que nada mais for necessário, do que você vai necessitar?

Nenhum comentário: