domingo, 24 de novembro de 2013

Solidão, imensidão

Solidão, dia sem paz.

Imensidão, tudo que eu quero hoje eu não posso ter.

Quero o seu cabelo em minha boca.

Desejo o seu cheiro em minha roupa.

Nos seus olhos, todos os meus devaneios.

Solidão, não faz mal.

Imensidão, no meu peito todo território a desbravar.

Caneta e papel, palavras e também minha alma.

Estou triste, gosto tanto de você.

E fazer festa aqui dentro de mim não tem porquê.

2 comentários:

Fernando disse...

Olá
Como fazer festa em meio a solidão? é um eterno querer sem poder e aí fica td só no plano da imaginação querendo e precisando se libertar.

gde abrsss
Blog Fernu Fala II
Siga no Twitter

Bruno Mello Souza disse...

Exatamente, Fernando.

Muito obrigado pela visita.

Abraços.