sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Vítimas e monstros

Abram-se as cortinas, vai começar o espetáculo.

Um palco cheio de almas angustiadas.

Fazendo o que mandam, sob chicotadas, sem consciência disso tudo.

Na plateia, famílias com seus pais, seus velhos e suas crianças com água na boca.

Eis o grande sacrifício, enquanto o chão é pintado de vermelho.

Chegamos ao fim, estamos apenas começando.

Há muito mais para o deleite dessa gente.

Porque tanta dor não é suficiente.

Línguas acariciam lábios, clamando por mais e mais.

Velas, vinho e carne crua, reunidos para o grande expurgo.

Vítimas e monstros, anjos e bestas, todos se confundem.

E o fogo invade tudo, desespero sem piedade.

É tarde demais, a escolha já foi feita.

O sofrimento se arrasta, o teto não se abre.

É tarde demais, não havia escolha a fazer.

Neste jogo de sadismo todos entraram para perder.

Nenhum comentário: