quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Brisa fria

O inverno se despede, mas uma brisa fria ainda beija nossos rostos.

O tempo é um amigo que não consigo compreender.

Não corra, não pare, mantenha-se na trilha.

A necessidade de exatidão nos traz apenas medo do destino.

Mas as possíveis armadilhas no caminho não podem nos desviar dos nossos anseios mais profundos.

E depois de tanta dor, queremos apenas descansar os nossos corações.

Tudo de mais lindo que o horizonte nos reserva depende de mais alguns passos.

Mesmo tendo todo o possível, hoje ainda temos muito pouco.

Então dê-me logo o amanhã.

A angústia não resistirá à luz que cortará a cortina trazendo um novo dia.

3 comentários:

B. disse...

Acredito que nada é melhor, como viver um dia de cada vez. Projetar o futuro e viver do passado é um risco. Perde-se muito tempo, não vivendo o presente. Mas também é necessário (na medida certa), ter uma esperança do que virá e saber reconhecer a influência do nosso passado no que somos hoje.
O tempo é assim mesmo, quase que incompreensível.

Bruno Mello Souza disse...

Muito obrigado pela visita, B.!

Bjs.

Bruno Mello Souza disse...

Muito obrigado pela visita, B.!

Bjs.