quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Velharias

O mundo lá fora está explodindo.

É muito barulho em meus ouvidos, mas preciso de silêncio.

Estou procurando apenas um jeito de não dizer nada.

Estou tentando apenas não estragar esse dia.

É melhor ir guardando as velharias.

É sempre melhor não se expor.

E se tudo permanecesse uma porcaria, seria o menor dos males.

Mas em algum momento direi algo.

Talvez amanhã ou na próxima década.

Balas perdidas atingem inocentes.

Mas não posso desperdiçar as minhas entranhas, tão bonitas e poéticas.

Então todos verão que faz muito, muito tempo.

Então todos verão que falo apenas de cadáveres.

E ninguém precisará morrer por causa disso.

2 comentários:

Diego D' Avila disse...

Retrato teu de uma guerra civil?

Bacana Bruno.

Bruno Mello Souza disse...

Hehehehe! Vou deixar a liberdade de interpretação para o leitor.

Muito obrigado pelo comentário, Diegão!

Abraço!