segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Purgatório

Gelo fino no chão e nas veias.

Alguns dias são realmente um desperdício de tempo e paciência.

Jogando-se do precipício em busca de uma visão inédita.

As boas novas estão banhadas no mesmo sangue sujo.

Nós somos a mesma coisa, e não sabemos o que estamos fazendo aqui.

Esperanças são cubos derretendo em nossas mãos, escorrendo pelos dedos.

Você pensou estar livre, mas apenas trocou de dono.

E não poderá dormir bem enquanto lembra das coisas que não aconteceram.

E não poderá descansar enquanto projeta um destino que já está selado.

Porque tudo é tão igual e previsível.

Porque os sonhos não passam de uma farsa que lhe mantém aqui.

Sendo sugado, mais um pouco.

Sendo absorvido, só mais um pouco.

E sendo descartado, apenas mais um pouco.

Porque tudo é tão igual e previsível.

Porque você não leva jeito para ser mais um.

Tão bom, conquistando tudo o que não precisa.

Este é o seu céu e o seu inferno.

E este é o seu purgatório que nunca termina.

Nenhum comentário: