sábado, 13 de julho de 2013

Caricaturas

Está tudo tão bonito.

Está tudo tão escuro.

Estão todos dançando.

Mas estou parado.

Estão todos sorrindo.

Mas estou sério num canto qualquer.

E quando um feixe de luz corta a pista, vejo apenas caricaturas.

Não me entenda mal, estou apenas cansado de tudo.

As horas são longas, e nada mais faz sentido.

E, se estamos prontos para nada, estamos prontos para ir embora.

Se pudesse, eu seria igual a isso.

Mas não faço parte desse teatro.

Sei as regras, mas não tenho talento para o jogo.

Sei as normas, mas sempre acabo perdendo.

Pendure-se num gancho, exponha-se.

Alguém irá se interessar em levar um naco de carne.

Sim, se seu preço for baixo, você conseguirá se vender facilmente.

Mas se seu preço for alto, sempre caberá uma negociação.

E eu apenas observo de longe.

Rindo de como as coisas são no mundo real.

Rindo de como os planos nunca se realizam.

4 comentários:

Ique disse...

uns chamariam de pessimismo e inadequação, outros diriam, isso é a realidade, se é que a realidade é isso mesmo.

Bruno Mello Souza disse...

Ae, Ique!

Muito obrigado pela participação.

Abraços!

B. disse...

Muitas vezes, queremos apenas não fazer parte daquela moldura, queremos apenas ser 'diferentes' dos demais. Achei teu texto interessante, principalmente esta frase "Rindo de como os planos nunca se realizam." No fim, nunca somos o que sonhávamos que seríamos. No fim, quase nada é como gostaríamos. E aí que temos que nos readequar às jogadas da vida.

Bruno Mello Souza disse...

Oi, B.!

Pois é, essa readequação às jogadas da vida que é um negócio muito complicado. Estamos sempre nos readaptando, nos readequando de alguma forma. Enfim, dizem por aí que isso se chama viver, né?

Muito obrigado pela participação.

Beijos.