quarta-feira, 24 de julho de 2013

Atlético Mineiro Campeão da América: mais do que um título, uma lição de vida

O Atlético Mineiro acaba de alcançar o título da Libertadores da América. O primeiro da história do clube. O maior da história do Galo.

A Libertadores atleticana teve bom futebol, teve qualidade, teve técnica. Mas teve suor, teve sangue, teve coração.

O que foi o gol de Luan, no apagar das luzes, no México?

O que foi a defesa de pênalti do Victor, no final do jogo contra o Tijuana no Independência, operando uma classificação miraculosa?

O que foi o gol do improvável Guilherme, também no fim do jogo contra o Newell's Old Boys?

E o gol de Leonardo Silva, quando o título parecia escapar pelos dedos no Mineirão, de novo no fim?

Sempre no fim.

Este Atlético de Victor, de Réver, de Leonardo Silva, é uma das páginas mais bonitas da história do futebol.

Este Atlético de Bernard, de Jô, de um Ronaldinho que após um longo período retomou a alegria de jogar bola, é um time que não nos deixa indiferentes.

Este Atlético do perdedor, do depressivo, do improvável Cuca, é uma verdadeira lição de vida.

Quantas vezes não deu certo?

Quantos foram os tropeços?

Quantas foram as humilhações e zombarias dos rivais?

E quantas vezes, nesta histórica Libertadores, parecia que não ia dar?

Deu.

O Atlético nos ensina que, mesmo quando tudo parece perdido, quando todas as circunstâncias parecem ir de encontro às nossas expectativas, a esperança não deve ser perdida.

"Lutar, lutar, lutar".

O Atlético reflete, mais do que nunca o seu hino.

"Vencer, vencer, vencer".

A alegria transbordará pela noite, pelos próximos dias, pelos próximos meses, e o orgulho, bem, este permanecerá eternamente nos corações atleticanos, na alma de cada integrante desta torcida fabulosa, apaixonada, crente.

"O nosso time é imortal".

Disso, já não restam dúvidas.

O Atlético Mineiro é imortal.

Um verdadeiro imortal...

2 comentários:

Caio Jonathan disse...

Da mesma forma que o ano passado era pra ser do Corinthians e esse ano tinha que ser do atlético, depois daquele lance que o jogador do Olimpia dribla o goleiro e com o gol aberto ele escorrega eu tive a certeza de que o título seria do time brasileiro.

abraços
Caio

http://jonathanejonathan.blogspot.com.br/

Bruno Mello Souza disse...

É verdade, Caio. Ao longo da Libertadores, aconteceram vários momentos em que eu pensava: "Rapaz, esse tipo de coisa é coisa de time que vai ser campeão". Não deu outra.

Abraços.