segunda-feira, 17 de junho de 2013

Levante brasileiro

Foram anos, anos e anos de um povo levando no lombo.

Quieto.

Irritantemente quieto.

Era uma sociedade civil desconfigurada, desarticulada.

Uma sociedade sem causas que ultrapassassem os muros de suas casas e prédios.

Mas levar no lombo enche o saco.

O povo brasileiro, de saco cheio, finalmente se levanta, e se dá conta do que é tão seu e é tão calhorda e sorrateiramente tirado de si, com uma desfaçatez que beira o deboche.

E, como se fossem fogos de artifício estourando em um céu estrelado, as insurreições explodem em diferentes pontos do país.

Independentemente de exageros pontuais dos manifestantes, este grande movimento deve, sim, ser louvado.

Ele é, sim, muitíssimo bem-vindo.

O coração pulsa mais forte do que nunca.

Não se vê nas ruas o patriotismo artificial e forçado do grito pelo gol marcado por um milionário qualquer de vinte e poucos anos, trajando uma camisa amarela com o distintivo de uma instituição corrupta, mas sim o orgulho genuíno do grito de liberdade de uma gente que tem, sim, algo a dizer e quer, sim, se fazer ouvida.

E já não há porrete que faça esse povo baixar a cabeça.

E já não há bomba capaz de explodir os sonhos e anseios dessas pessoas.

E já não há mais mordaça que cale o berro das ruas.

Hoje, estou sentindo orgulho de ser brasileiro.

Orgulho de ver esse levante maravilhoso em cada canto.

O público foi tomado pelo público.

Palavras como apatia, desinteresse e indolência ficam para trás.

Por quanto tempo? Não sei. 

Ninguém pode saber.

Mas espero que se torne algo perene.

Fato é que o presente momento é de uma grandiosidade ímpar.

Não há como ficar indiferente a esse despertar tão poderoso da nossa população.

Sabe a História? Pois bem, caríssimo amigo: estamos presenciando-a. Estamos vivendo-a.

6 comentários:

Ique disse...

até eu dei uma acordada também

Bruno Mello Souza disse...

Que bom, Ique!

Volte sempre.

Cris Campos disse...

Feliz demais por fazer parte dela, essa é nossa história Bruno, e teu belíssimo texto me deixou mais feliz ainda. Bj!

Bruno Mello Souza disse...

Com certeza. E que bom que gostaste, Cris!

Beijo.

Lívia disse...

Vim até aqui saber seu posicionamento sobre toda essa situação.
Nenhuma surpresa.
Um beijo.

Bruno Mello Souza disse...

Obrigado pela visita, Lívia!

Beijos.