sexta-feira, 12 de abril de 2013

Sorvete de morango

Ele estava com a testa enrugada de preocupação.

Ela, despreocupada, apenas sorriu.

Foi então que se olharam pela primeira vez.

Depois, tudo foi passando, o tempo, a timidez e o programa bobo na televisão.

Isso não foi o suficiente para acabar com os atropelos e o desengonço de quem ainda está aprendendo a amar.

Agora ele está com a camisa lambuzada de sorvete de morango.

E ela está gargalhando ao ver como ele é desajeitado.

Fizeram da vida algo mais leve.

Hoje sabem que, nublado ou ensolarado, o céu jamais deixará de ser céu.

São duas crianças sentadas no banco de uma praça.

E têm apenas uma certeza: aconteça o que acontecer, lembrarão, para sempre, um do outro.

2 comentários:

B. disse...

Que romântico, Bruno. A vida a dois, prepara situações que só podemos vencer se o casal estiver junto e sorrindo para a vida. Um apoiando ao outro.


Obs: Gostei da sua sensibilidade para escrever sobre o tema.

Bruno Mello Souza disse...

Heheheh, muito obrigado pelo comentário, B!

É sempre muito bom te receber por aqui.

Um grande beijo.