sábado, 13 de abril de 2013

O corpo de Nicole Bahls é propriedade privada dela


Não interessa o vestido que ela usava.

Não interessa o papel que ela desempenha num programa de televisão.

Não interessaria nem se ela fosse uma prostituta.

Interessa que o corpo de Nicole Bahls é dela, Nicole Bahls.

Ela mostra o que quiser.

Ela mostra quando, mediante o que, e para quem ela quiser.

E ela permite acesso a ele quando, mediante o que, e para quem ela quiser.

Pode-se até questionar, e eu mesmo questiono, as motivações que fazem meninas como ela quererem se expor de determinadas formas, e em determinadas situações.   

Mas há um verbo fundamental nessa fórmula: QUERER.

Não só o diretor de teatro babaca não compreendeu isso.

Muitos e muitos homens não compreendem.

As fotos mostram claramente que ela não queria as mãos do diretor de teatro babaca entre as suas pernas.

Elas mostram cristalinamente o constrangimento da moça com a situação.

Invasões desse tipo, de ordem sexual, são as que mais me enojam.

Porque elas não se referem apenas a uma situação material específica no tempo.

Elas lidam com o íntimo da pessoa.

E podem causar danos psicológicos terríveis e perenes.

Atos sexuais indesejados (e, sim, atitudes como a do diretor de teatro babaca são atos sexuais indesejados) podem estragar a vida de alguém. 

O corpo de uma pessoa é a sua propriedade privada mais sagrada.

Seja como for, em quais condições for, o corpo de Nicole Bahls é propriedade dela.

E nele, só toca quem ela quiser e permitir, seja pelo motivo que for.

Pelo menos deveria ser assim.

O que aconteceu com a moça não é para rir, é para refletir.

Chega de culpar a vítima e absolver o réu.

2 comentários:

Dani disse...

Concordo! Será que posso te esperar no meu?
Bom final de semana! (=
http://expectativasreais.blogspot.com.br/

Bruno Mello Souza disse...

Oi, Dani!

Muito obrigado pela visita!

Certamente visitarei o teu blog.

Beijos,e bom final de semana pra ti também!