sábado, 20 de abril de 2013

Embrulho

Ângelo queria dar um presente para Beatriz.

Pensou muito em algo que pudesse ser bem representativo.

Resolveu dar o que de mais valioso ele tinha.

Rasgou o peito, e arrancou seu coração.

Colocou-o numa caixa, em um lindo embrulho.

E enviou para a moça.

Beatriz, ao receber o embrulho, sorriu, pegou o coração do rapaz, e cortou em vários pedacinhos.

E mandou de volta.

Ângelo, ao abrir a caixa, deparou-se com o seu coração picadinho.

Uma tristeza profunda invadiu-lhe a alma.

Não havia maneira de reaproveitar aquilo.

Não teria como colocá-lo de volta no peito, naquele estado.

Um coração em pedaços não tem utilidade alguma.

Restou-lhe despejar aqueles fragmentos no lixo, junto com ossos, pedaços podres de frutas e a comida gelada que havia sobrado dias atrás. 

2 comentários:

B. disse...

Bem legal a 'personificação' do coração, Bruno.

Bruno Mello Souza disse...

Muito obrigado pela visita, B.!

Beijos.