sábado, 16 de março de 2013

Solidão

Solidão é silêncio forçado.

É escuridão na alma.

Solidão é a imagem distorcida no espelho.

É a espera sem esperança.

Solidão é grito sufocado.

É sonho não sonhado.

Solidão é angústia.

É nó na garganta que não se desfaz.

Solidão é a vontade de voar sem ter asas.

É a incapacidade de respirar sem um terrível peso sobre o peito.

Solidão é conversar consigo mesmo.

E não encontrar soluções e respostas.

Há quem não compreenda a solidão.

Confundem-na com pura e simples falta de companhia.

E não se trata necessariamente disso.

Podemos estar rodeados de gente, e ainda assim, estarmos completamente sozinhos.

Solidão é vazio, é falta.

É o coração que transborda uma ternura não acolhida, que seca no chão e é devorada pelas baratas.

Solidão é a poesia que não chega ao endereço.

É dor que nos obriga a disfarçar.

Solidão é o choro que engolimos todas as noites antes de dormir.

É a oração protocolar de quem já não possui expectativa alguma sobre o amanhã.

Nenhum comentário: