sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Pedido de casamento

- Renata... Te chamei pra jantar hoje por um motivo especial...
- Hum... Fale, Vitor!
- É o seguinte... Estive pensando muito... E... Bom... Eu gostaria de te pedir em casamento.
- Mesmo?
- Sim! Aceita casar comigo?
- Aiii, amor! Que aliança linda! Que gesto lindo! Eu aceito! Claro que aceito!
- Nossa! Tô muito feliz!
- Eu também!
- Te amo, sabia?
- Também te amo, meu bem!
- Bom... Agora vamos pedir alguma coisa pra comer, então...
- Isso... O que você sugere?
- Eles têm um risoto maravilhoso...
- Risoto? Você gosta de risoto?
- Gosto... Acho um prato delicioso.
- Pois é... Eu não gosto. 
- Hum...
- Você devia me conhecer melhor! Estou decepcionada!
- Atitudes como essa também me decepcionam.
- Então tá...
- Pois é!
- Melhor não nos vermos mais. Tá tudo acabado.
- Isso! É melhor assim, mesmo!
- É...
- Ai, amor... Me perdoa... Volta pra mim... Por favor...
- Será que você vai mudar de verdade? Do jeito que tava... Não dá...
- Tudo bem, querida! Vou mudar, sim! Prometo!
- Bom... Então tá... Você sabe que nunca deixei de te amar.
- Nem eu, benzinho!
- Que bom que estamos juntos de novo.
- Que ótimo...
- Hum...
- O que foi?
- Pensa que eu não tô vendo?
- Vendo o quê?
- Que você não para de olhar para a biscate da mesa ao lado!
- Nossa, que bobagem!
- Bobagem! Meus sentimentos são bobagem pra você?
- Ciúme bobo! Você me sufoca, sabia?
- Te sufoco, é?
- Sim! É difícil aguentar isso!
- Então tá!
- Tudo terminado!
- Ok! Não quero mais te ver!
- É... Bom... Ah, meu amor... Deixa de bobagem! Você é única! Volta pra mim, volta?
- Não sei se devo...
- Olha tudo o que nós já vivemos!
- Pois é... Mas você é muito mulherengo...
- Te amo, querida! Você sabe disso!
- Sim... Eu também te amo!
- Então... Vamos reconstruir nosso casamento...
- Tudo bem... Vou dar esse voto de confiança...
- Obrigado!
- O amor tem que vencer.
- Sabe, meu bem... Não leve a mal... Mas você não acha que exagerou um pouco no blush?
- Tá me achando feia?
- Não, não é isso!
- Tá me achando com cara de palhaça?
- Não, claro que não! 
- Tá sim! Seu grosso! Eu sabia que não iria dar certo! Não aguento mais suas grosserias! Pra elogiar você nunca está pronto! São só críticas, e críticas, e mais críticas! Não aguento mais! Tome a porcaria da aliança! Vou embora!
- Isso! Vai mesmo! Nossa relação foi um grande erro! Eu vou ficar aqui! E vou comer o risoto! Porque o risoto daqui é uma delícia! Uma delícia!

2 comentários:

B. disse...

Adorei seu nível de criticidade perante uma situação tão simples e rotineira. Mas é bem assim mesmo que anda acontecendo, em um minuto ocorre o 'eu te amo' e no minuto seguinte acaba o amor.

Bruno Mello Souza disse...

Oi, B.!

Muito obrigado pela participação no DC!

Gosto muito dos teus comentários.

Beijos.