sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Carpinejar fala sobre o último capítulo de "Avenida Brasil"

- Olá, amigos do DC! Estamos mais uma vez aqui com o Carpinejar, que hoje vai falar sobre suas expectativas sobre o último capítulo de "Avenida Brasil". Carpinejar, primeiramente, a grande questão: quem você acha que matou Max?
- Max. Máximo. Que é o mínimo com fermento. Matar. Que não é morrer. É um leve vôo sobre um milharal. Doença crônica. Atitude impensada. Impensado, que é aquilo que foi pensado sem responsabilidade.
- Sim... E todas essas reviravoltas, hein? É uma novela em que todos têm um quê de mau-caratismo, você não acha?
- Novela. Novelo. Lã que me aquece. Risada inocente e desavergonhada. Anoitecer tomado de uma feminina vontade de carinho e mordidas na orelha. 
- Ahã... A Nina, por exemplo... Fez de tudo pela sua vingança... Há quem ache que ela extrapolou...
- Vingança. Erupção de orgulhos feridos. Ferida. Pele arrepiada. Lâmina que acaricia o rosto. Carícia canalha. Canalha, que não é cafajeste. É canalha. Como um doce gole de chocolate quente que desce queimando minha garganta.
- Certo... E a Carminha, hein? Que desfecho você acha que está reservado para ela?
- Carminha. Car. Minha. Carro. Que não é meu. Táxi. Bandeira dois. Que é a bandeira um que resolveu se valorizar, sair por aí, arrasar o que tiver pela frente. Dois. Que é o um que teve irmão gêmeo. Mas não é onze.
- Er... Ok, então... Bom... Obrigado, mais uma vez. Tchau, Carpinejar!
- Tchau. Que não é oi. Nem oi oi oi. Congele-me agora. Sou filhote de cruz-credo. Mas não me importo. E sempre falo disso porque não me importo. Sou feio. Que é o bonito que vestiu seu rosto do avesso.            

2 comentários:

Lívia disse...

"Anoitecer tomado de uma feminina vontade de carinho e mordidas na orelha." fala por si! Uiii!
~risadinhas com muita gracinha~

Bruno Mello Souza disse...

Hahahahahaha!!!

Valeu pelo comentário, Lívia!

Beijos!