sexta-feira, 31 de agosto de 2012

A dor do poeta

Aí está você novamente, meu caro poeta, mergulhado na tristeza. 

Poeta, meu amigo, por que escondeu por tanto tempo sua dor? Poeta calado, poeta escondido, poeta esquecido... Por onde você andou esse tempo todo?

Sei que a vida lhe dói. Mas, afinal, a quem ela não dói? Você que tanto amou, você que tanto sentiu, você que tanto chorou, você que às vezes até sorriu, olhe-se no espelho! Ah, meu caro poeta, permita a si mesmo o direito à fraqueza. Você, poeta, que andou dizendo que suas lágrimas haviam secado, diga-me agora: o que é isso que transborda de seus olhos neste momento?

Oh, meu amigo poeta, infelizmente não tenho as respostas que você tanto deseja. Conheço seus sonhos, sei bem do seu amor pelo amor, mas não tenho muito a lhe dizer. Apenas sugiro para o seu próprio bem: não se esconda mais, caríssimo poeta! Por mais que tente disfarçar, sei que pulsa em seu peito a pureza de um singelo sentimento juvenil, vivo, aceso, sem amarras, sem máscaras, sem hipocrisias, sem regras frias e desprezíveis impostas por um mundo que tem nojo dos sentimentos mais belos e nobres.

Ah, poeta, tolo inconfundível, bobo incorrigível, sei que a vida não é fácil. Sei o quanto ela insiste em lhe ferir. Conheço suas frustrações, tenho intimidade com suas mágoas. Poeta dos olhos vermelhos, do rosto molhado, eu sei que você merece ser feliz. Chore mais, chore tanto quanto for necessário. Mas, amigo poeta, antes de partir, permita a si mesmo mais uma chance, mais uma hora, mais um dia. 

Feche os olhos, poeta. Feche os olhos e persista. Feche os olhos e sonhe um pouco mais. Acredite em Deus, na força do amor e da vida, mesmo que por uma fração de segundo. E tenha, então, a certeza de que as lágrimas de hoje estão regando a linda árvore do amanhã.

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Bial na farmácia

- Boa tarde, senhor. Em que posso ajudar?
- Oh, amigo farmacêutico! Ajude-me agora! Estenda sua mão! Oh, meu corpo dói. Como se tivesse sido atropelado por todas as dores do mundo. A cabeça está a latejar como se o martelo do juízo final chamasse a todos nós para uma derradeira cena! Oh, e o meu nariz? Expurga tudo que de mau existe em mim. Compromete-me e me submete a uma angústia profunda e calada. Minha voz pede socorro. Minha garganta arranha como as unhas de um tigre feroz e insaciável. Oh, meu amigo, peço-lhe a solução para tudo isso. Peço-lhe o bálsamo para todas as dores do meu corpo e da minha alma. Oh, amigo farmacêutico, cá estou sem receita, sem imposição alguma, apenas suplicando por um renascimento, uma nova vida, uma nova oportunidade para escrever páginas ainda mais belas na história da minha existência!
- Ok... Remédio para gripe e pastilhas para a garganta. Deseja mais alguma coisa?
- Er... Sim, sim. Uma caixinha de Viagra e uma camisinha... Daquelas de tutti-frutti, por favor. 

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Usado

- Gilberto, meu querido, precisamos conversar.
- Sim, Carla... Pode dizer... Peraí só um pouquinho... Ei, garçom! Traz mais um espumante aqui pra moça, por favor! Bom... Agora assim... Pode falar, meu bem.
- É o seguinte... Não tá mais dando certo... 
- Ué? O que houve?
- Sabe... Simplesmente a relação se desgastou...
- Poxa vida... E não tem nada que possamos fazer pra reverter isso?
- Não, meu bem. Desculpa. Desculpa mesmo. Foi maravilhoso. Te usei muito, e nunca vou me esquecer disto. Sempre vou lembrar com muito carinho de cada momento em que eu te usei. Logo que nos conhecemos, quando você pagou aquela continha atrasada, lembra? Teve também o dia em que você se prestou a levar a mamãe naquele bingo clandestino. Foi uma demonstração linda! E quando você ia comigo na casa do meu ex e esperava pacientemente lá fora enquanto a gente... Enfim... Er... Cuidava ... Er...
- Da papelada do divórcio?
- Isso! A papelada do divórcio! Depois as jóias, os vestidos... Aquela vez em que você me comprou aquela bolsa, lembra?
- Sim... Era uma bolsa linda...
- Postei até uma foto dela no Facebook!
- E... Você vai excluir?
- Ai, meu bem... Infelizmente, né? Foi algo que passou...
- Ai, amor... Por favor, não fale assim! Onde foi que eu errei? Foi aquele dia em que me descuidei com o horário e nos atrasamos três minutos no aniversário da sua irmã? Eu juro que não vai se repetir! Não me deixe! Me use mais! O que vai ser de mim sem você me usando? Pelo amor de Deus! Eu prometo mudar! Posso ser usado de uma maneira muito melhor e mais eficiente! Não deixe de me usar!  
- Não, querido. Não dá mais. A vida é assim, meu bem... Não quero te ver mal... Não mesmo. E sei que você vai ficar bem. Vai encontrar alguém que realmente te mereça, alguém que vai te usar muito, muito melhor do que eu.
- Não, Carla! Não! Eu preciso ser usado por você! 
- Não fique assim, amor... Bom, agora eu tenho que ir embora.
- Assim, sem mais nem menos? Não vai terminar o espumante? E você... Não vai dar nem uma última "usadinha"?
- Não, Gilberto. Vou agora mesmo... E pagarei a metade da conta. 
- Mas... Por quê?
- É melhor assim. É melhor pra nós dois.

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Carpinejar comentando as eleições de Porto Alegre

- Bom dia, amigos do DC. Hoje estamos aqui com o Carpinejar, que vai tecer comentários sobre as eleições de Porto Alegre, seus candidatos e suas impressões sobre os mesmos. Pois bem, Carpinejar, quais são as observações que você tem feito sobre esta campanha?
- Campanha. Eleições. Candidatos. À procura do poder. Pote de ouro controverso. Prefeitura. Perfeição e perfeitura. Imperfeição. Imprefeitura.
- Pois é... Por enquanto Fortunati e Manuela estão despontando como favoritos, né?
- Fortunati. Fortuna. Pra ti. Pra nós? Sim, que é um não corrompido. Uma carta mal-escrita. Um pôr-do-sol nublado. E Manuela. Manu. Ela. É a juventude. Um impulso. O pulmão do amanhã. Disfarce. Descrença. Harvard. Hogwarts. Sim. Não. Conexão sem cabo. Amanhã, que é o hoje que ainda não deu as caras.
- E tem ainda outros candidatos que podem surpreender, não? Como você vê a candidatura do Villaverde, por exemplo? É o PT tentando demarcar território?
- Villaverde. Verde. Não do Partido Verde. Verde avermelhado. Verde do PT. Território demarcado. Lua. Estrela. Sol. 
- E tem ainda o Wambert di Lorenzo, entre os representantes dos grandes partidos. Mas o PSDB tem dificuldades de emplacar candidatos em Porto Alegre, não te parece?
- PSDB. Tucano. Tucano que é um papagaio antes da cirurgia plástica. É uma floresta que se redescobre. Uma dama apaixonada que espera, sozinha, pelo príncipe encantado que nunca vem, com uma taça de vinho tinto na mão. Príncipe. Canalha. Que não é cafajeste. É a palavra que se enrosca na língua. Um beijo esquecido. Um toque macio que não foi dado.
- E o papel dos partidos mais de esquerda, como o PSOL e o PSTU? Você acha que Robaina e Érico Correa conseguirão estabelecer um tensionamento, principalmente com candidaturas como a de Manuela e a de Villaverde?
- PSOL. Um partido que quer raiar. Amanhece. Anoitece. Noite que é dia que se despediu. É a luz que se apagou na cidade. E PSTU. Esquerda. Que é a direita vista no espelho? Sim, é oposto. Simétrico. Assimétrico. É polo. Diferente de pollo, em espanhol. Muito diferente. Tensionamento? Talvez. A tensão é o relaxamento que levou um susto.
- Bom... Tá certo, então. Muito obrigado, Carpinejar. Até uma próxima oportunidade. 
- Oportunidade. Oportunismo. Senso de direção. Que é a desorientação ao avesso. Avião no céu. Que é um ônibus com asas. 

domingo, 26 de agosto de 2012

Gre-Nal de seis pontos

O Gre-Nal marcado para as 16 horas deste domingo, no Beira-Rio, tem todas as características do chamado "jogo de seis pontos".

Os dois times estão próximos na tabela, separados por apenas três pontos, três pontos estes que serão disputados logo mais.

Pelo lado do Inter, uma vitória representa terminar o turno empatado com o Grêmio, e manter-se com esperanças de título.

Para o Tricolor, um triunfo seria sinônimo de distanciamento do maior rival em seis pontos, e de um início de segundo turno absolutamente embalado.

O time do Grêmio está mais pronto que o do Inter.

Mas o Internacional não pode ser, de forma alguma, menosprezado.

Tem grandes jogadores, estará atuando em seus domínios, e, tenho certeza, estará totalmente focado e motivado pelo técnico Fernandão.

Mas nem só de motivação se faz um clássico.

A organização do ponto de vista tático será fundamental.

Em termos defensivos, o grande desafio do Colorado será o de encaixar a marcação em Elano e Zé Roberto.

Muito se fala dos bons atacantes gremistas, Kléber e Marcelo Moreno.

Mas o centro nevrálgico tricolor está nos seus dois meias.

É ali a fonte de sua criatividade e movimentação.

Se Guiñazu e Ygor neutralizarem os articuladores do Grêmio, meio caminho estará andado.

Faltará, daí, estabelecer a dinâmica da peça ofensiva.

Com Fred e Dátolo compondo o meio, a equipe colorada fica muito mais equilibrada do que com três volantes.

Muda um pouco o jeitão de jogar, passando de um 4-3-1-2 para um 4-2-2-2.

Mesmo que Fernandão coloque Fred como componente de um tripé de volantes, sua movimentação intensa, sim ou sim, estabelecerá um deslocamento de Dátolo mais para a esquerda quando o Colorado tiver a posse da bola.

Isso porque nem Fred é um volante típico, restrito a uma área do campo, nem Dátolo, tampouco, é um articulador nato, centralizador de jogadas.

Em suma: uma vitória colorada passará necessariamente pelo bom funcionamento de seu meio de campo.

Se o Inter conseguir, por meio de muita marcação e movimentação, controlar este setor, a bola chegará muito mais para Forlán e Damião.

E estes dois, atacantes diferenciados, tarimbados e decisivos, não perdoarão. 

Podem escrever.

sábado, 25 de agosto de 2012

Esmola

- Ei, tio, tem um trocadinho aí pra ajudar?
- Pra que você quer? É pra cachaça, é? Ou tá querendo fumar uma pedra?
- Nada disso, seu. 
- Pensa que me engana, é? Vai querer me convencer que é pra comida?
- Não, não, também não.
- Então você quer o dinheiro pra quê?
- É pra votar no Dilemas Cotidianos, seu.
- Hein?
- Pra ir na lan house e votar no DC pro Top Blog. Eu só tenho que entrar no Dilemas Cotidianos, e clicar no ícone à direita da tela. Posso votar por e-mail, Twitter ou Facebook.
- E... Você tem e-mail, Twitter e Facebook?
- Sim, claro! Sou um mendigo conectado! Se quiser pode até me seguir no Twitter. É @mendigovsky.
- Bom... Certo... Pega aqui essas moedinhas, então... Não sou de dar esmolas... Mas, já que é por uma boa causa, vou abrir uma exceção.
- Muito obrigado, seu. Que Deus lhe abençoe!

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Polícia da Etiqueta

Um transeunte é parado por um policial numa avenida movimentada:

- Parado aí, parado aí!
- O que foi, o que foi, seu policial?
- Eu sou da Polícia da Etiqueta e o senhor tem o direito de permanecer calado. Te flagrei com o dedo no nariz...
- Er... Não pude me conter... Estava coçando...
- Não interessa! Vou ter que te multar. 250 reais!
- Hein?
- Isso mesmo! Vai me desacatar?
- Não, não... Desculpe...
- Opa, opa! E esse zíper aberto aí?
- Er... Não tinha visto...
- Mais uma infração! 100 reais de multa!
- Ai, meu Deus...
- E... Que cheiro é esse?
- Desculpa, por favor, seu policial... Me deixe ir!
- Que cheiro é esse?
- Er... Me assustei quando o senhor me abordou... Acabei... Acabei me borrando...
- Você se borrou? Em público? 480 reais de multa! Quantas infrações simultâneas!
- Puta que pariu...
- O que você disse?
- Er... Eu disse... Er... Eu disse "trufa ninguém viu"... Er... Tem uma senhora que vende trufa aqui nessa rua... E há uma semana ela não aparece... Hehehe...
- Tem certeza?
- Tenho! Juro!
- Peraí, peraí, estão me chamando aqui! Ok, câmbio? O quê? Precisam de reforço? Tá bom! Vou pegar a viatura e já vou até aí! 
- O que houve?
- Você está com sorte hoje, meu rapaz... Vou te liberar por enquanto... Paga essas multinhas aí e estamos resolvidos... Estão pedindo reforço na Rua São Pedro e tenho que ir pra lá... Num restaurante...É um flagrante de um meliante comendo coxinha de galinha com as mãos e cortando alface com a faca. Some daqui, cidadão! Rápido!
- Tá bom, tá bom... Já vou indo... Er... Bom trabalho, viu?
- Ok, ok... E da próxima vez vê se presta atenção nesse zíper aí... 
- Certo... Prometo que isso não vai se repetir.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Pai e filho

É final de tarde de domingo. Suzana chega em casa, e encontra o marido, Jair, e o filho, Vitor, bebendo cerveja:

- Ô, Jair! De novo vocês dois bebendo?
- Ah, pára, Suzana! Blurp... Nós... Só estamos tomando uma cervejinha...
- Mas tá errado! Tá demais isso! Vocês estão enchendo a cara todo dia!
- Nossa, que exagero! Sexta-feira a gente foi pro boteco da esquina, mas foi coisa rápida. Tomamos o quê? Umas cinco garrafas... Cedinho a gente tava em casa, amor!
- Cedinho? Duas da manhã é cedinho agora?
- Uma e quarenta e cinco... Não distorce as coisas!
- E ontem?
- Umas caipirinhas! Bem tranquilos, em casa! Cheguei até a pensar em ir para a balada com ele... Mas acabamos ficando! 
- Ah, sim! Que lindo! Que belo exemplo! Parabéns! Pra fechar com chave de ouro, encontro vocês agora aí, nessa situação...
- Qual é o problema? Você quer separar pai e filho, é isso? Não posso curtir uns momentos com o moleque? Ele tem que aprender a ser homem!
- Meu Deus... Quanta coisa absurda que você tá falando!
- Você que quer que ele seja uma menininha! Uma marica! Deixe de ser superprotetora! 
- Superprotetora?
- Sim! Superprotetora! Que mal tem um pai assistir a um joguinho de futebol tomando uma cervejinha com o filho? Hein?
- Olha, Jair... Não teria mal nenhum se ele não tivesse só seis meses.
- Psss... Quanta frescura!

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Asneiras

ZH Esportes, na semana Gre-Nal, tem entrevistado ex-jogadores da dupla acerca do clássico de domingo.

Pelo lado do Grêmio, Iura, ex-jogador de relativa importância na história do clube, soltou asneiras absolutamente estapafúrdias (http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/esportes/gremio/noticia/2012/08/se-eu-fosse-o-luxemburgo-iura-aposta-em-elano-e-ve-inter-tremendo-para-o-gre-nal-3860670.html).

Começou dizendo que o Grêmio é o melhor time do Brasil.

Palmas para ele!

Mas Iura foi mais longe.

Disse que o Inter está tremendo, e que Forlán está isolado do grupo colorado.

Afirmou, ainda, que Fernandão não está conseguindo unir o elenco do Internacional.

Como sabe do Inter, este cidadão!

Lendo este monte de bobagens, eu bem poderia chamar Iura de imbecil. 

Porém, se o fizesse, estaria cometendo uma indelicadeza.

Por isso, não o chamarei de imbecil.

Entretanto, me dou o direito de sugerir a ele que deixe o Inter um pouco de lado e passe a se preocupar mais com o seu time do coração, que não ganha nada minimamente relevante há mais de uma década.

PS: na mesma série, a Zero Hora entrevistou também Valdomiro, ex-jogador colorado. Reparem na diferença de nível, e tirem suas próprias conclusões (http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/esportes/inter/noticia/2012/08/se-eu-fosse-o-fernandao-valdomiro-sugere-esquema-mais-ofensivo-para-o-gre-nal-3860699.html).

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Carpinejar

- Opa, e aí, Carpinejar?
- Hey, Marcelo!
- E o nosso Inter, hein?
- É uma lança... Uma ponta aguda que fere. É um doce canalha. Não cafajeste. Canalha. Deliciosamente canalha.
- Pois é... Aqueles três volantes... Sei não...
- Volantes de toque sutil. Maciez palpável. Puxão de cabelo enlouquecido. Volantes que são fúria. Veludo agressivo.
- Ahã... E a vida, como anda?
- A vida é uma chama que lambe meu rosto. Um terço e um rosário. Fé desconfiada. Esquecimento, que é a lembrança que se nega a existir. 
- Hum... E daqui a pouco ainda tem as eleições, né?
- Urna de esperança. Simples glória como a de um beijo roubado à sombra da macieira num fim de tarde de terça-feira. Paixão que se propaga. Nuvem que se dissipa.
- Bom, então tá... Qualquer dia passa lá em casa para comermos uma pizza!
- Pizza. Queijo que derrete como um homem carinhoso entregue ao calor de uma mulher ferozmente enamorada.
- Isso, isso! Tchau, cara!
- Tchau. Que não é adeus. É apenas um sussurro ao pé do ouvido. É o delicado toque de dedos que buscam na pele alheia o seu abrigo, o seu conforto. Tchau, que é o oi que se despede e se vai pelo horizonte.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Seu Venâncio

O caso do senhor Venâncio era o mais curioso da cidadezinha de Rosa Branca.

Ninguém entendia ao certo o que acontecia com aquele velho.

Ele vivia há muitos e muitos anos no banco da praça da cidade.

Não tinha família.

Não saía de lá por nada.

Com chuva, com sol, com frio ou calor, ele permanecia ali, sentado.

Dizem que Venâncio fora um homem extremamente amoroso quando de sua juventude.

Romântico em excesso, talvez, viu seu coração ser partido sempre e sempre, intermináveis vezes.

Era, porém e acima de tudo, um persistente.

Até o dia em que desistiu.

Chegou ao seu limite.

Cansou de amar.

Cansou de acreditar.

Até aquele dia, orava fervorosamente a Deus todas as noites para que tivesse dois pés que aquecessem os seus assim que o sol se despedisse no horizonte.

Perguntava por que logo ele não tinha o direito tão humano de amar e ser amado de igual maneira, como todos ao seu redor naquela cidadezinha.

Rezava.

E rezava.

E rezava.

Noite após noite.

Até a noite em que parou de rezar.

Parou de acreditar em Deus.

Deixou de acreditar na vida.

Deixou de acreditar em si mesmo.

Foi então que mudou-se para o banco daquela praça.

Para que trabalhar e prosseguir, afinal, se nada haveria de bom ao fim e ao cabo?

Para que continuar caminhando se a estrada terminaria no beco sem saída da morte?

Era uma decisão racional e bastante razoável em seu contexto, convenhamos.

As pessoas que passavam por ele naquela praça já não se importavam.

A curiosidade deu lugar à indiferença.

Ele era tão somente parte daquele cenário, como uma árvore ou um chafariz.

Só não havia morrido de fome ou alguma doença até então porque dona Tereza, a senhora da casa que ficava em frente à praça, levava todos os dias uma vianda de comida e os remédios necessários quando ele dava sinais de enfraquecimento em sua saúde.

Venâncio, o desiludido velho do banco da praça seguiu assim, vegetando sua alma por mais alguns anos, até o momento em que seus olhos fecharam em definitivo.

Somente dona Tereza viu.

Somente dona Tereza chorou.

Venâncio se foi.

Partiu magoado com Deus, pensando não ter sido amado por ninguém.

Não percebeu a injustiça que havia cometido.

Dona Tereza se importava.

Dona Tereza o amava, silenciosa e abnegadamente.

Cuidou dele com discreta e apaixonada dedicação por anos a fio.

Os olhos sem vida, perdidos no nada, não lhe permitiram se dar conta disso.

Seu Venâncio morreu incrédulo e triste.

A felicidade às vezes é óbvia demais... 

domingo, 19 de agosto de 2012

Taraxista

A cidade de Perth, na Austrália, foi o palco de uma cena inusitada.

Uma garota chamada Jessie Gravett, de 21 anos, tomou um táxi diferente.

Tudo porque o motorista estava sem calça!

A moça, como prova, até tirou uma foto do "instrumento" do taraxista.

Em dado momento, o homem até se confundiu na hora de trocar a marcha.

Só se deu conta do equívoco quando percebeu que, por mais que mexesse no "câmbio", não saía do ponto morto. 

sábado, 18 de agosto de 2012

No confessionário

- Bom dia, padre.
- Bom dia, meu filho. Qual é o seu nome?
- É Marcelo.
- Pois bem... Vamos à confissão.
- Bom... Tenho algumas coisas para confessar...
- Pode começar então, meu filho.
- Sim... Hum... Eu estive fazendo uma aposta com os colegas de trabalho, semana passada... E trapaceei. Acabei ganhando... Mas agora estou arrependido.
- É... Não foi uma boa atitude, filho. Sugiro que tu rezes 7 Ave-Marias e 12 Pais-Nossos. E assim, te absolvo deste pecado em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo.
- Outra coisa... Eu andei traindo a minha esposa... Algumas vezes... Pra falar a verdade, desde o início do casamento...
- Adultério é um pecado terrível, filho. Rezes 77 Pais-Nossos e 53 Ave-Marias. E assim, te absolvo deste pecado em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo.
- Bom... Eu também... Er... Envenenei um cara... Na verdade, não era só um cara... Er... Eu matei o meu pai.
- Oh, filho! Terrível, isto! E estás verdadeiramente arrependido?
- Sim, padre... Estou...
- Rezes então 139 Ave-Marias e 264 Pais-Nossos. E assim, te absolvo deste pecado em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo. Mais algum pecado, filho?
- Sim, sim... Er... Nossa... Este é o que mais me constrange... É difícil de dizer...
- Podes falar, filho. Aqui a ideia é de fraternidade, amor e remissão.
- Er... Tá bom... Hum... Pois é... Eu... Eu ainda não votei no Dilemas Cotidianos para o Top Blog 2012...
- Oh, meu filho! Mas... Por quê? É algo tão simples... É tão fácil... Basta acessar o DC e clicar no ícone à direita da tela! Podes votar por e-mail, Twitter ou Facebook!
- Eu sei, padre... Peço mil perdões... Os mais sinceros e verdadeiros!
- É estarrecedor, filho... Mas Deus terá misericórdia de ti. O que deves fazer é rezar 942 Pais-Nossos e 586 Ave-Marias, além de imediatamente votar no DC. E assim, te absolvo deste pecado em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
- Obrigado, padre! Muito obrigado!
- Vá em paz e com Deus, meu filho. 

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Bial no cabeleireiro

- Boa tarde, seu Bial. Veio cortar o cabelo?
- Boa tarde, oh meu amigo cabeleireiro! Estou de volta a esta aventura do corte de cabelo. É um ciclo que se repete. Oh, e como se repete! É cabelo que se corta, é cabelo que cresce, é a vida que flui! Peço a ti, magnânimo amigo, todo o cuidado deste mundo. Um erro pode ser fatal. Confio em suas mãos as minhas madeixas. Confio em suas mãos aquilo que aparento, aquilo que externalizo e irradio no dia a dia, na telinha da tv. Oh, cabeleireiro, corte o meu cabelo. Corte, com ele, um pouco do meu passado. Apare cada canto. Apare as arestas deixadas na minha existência. Penteie em ondas que deliciosamente me afogam na esperança de uma nova e mais perfeita essência grisalha! Pegue o secador, faça evaporar de minha cabeça as gotas d'água e as preocupações deste devir interminável! Com a afiada lâmina, refaça minha suíça, oh, neutralidade que esconde o fervor das opiniões em meu rosto! Oh, amigo cabeleireiro, meu grande irmão que espia cada fiozinho que cresce muitas vezes revoltoso, corte com sutileza e afinco. Atualize, mais uma vez, o cenário que marca meu ciclo capilar, este ciclo sem fim que me guiará à dor e à emoção, pela fé e o amor!
- Certo. E o senhor vai querer o corte de sempre?
- Sim, sim. Corta na frente e pica atrás. 

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Casal pós-moderno

Um casal no restaurante, jantando à luz de velas:

- Ô, meu amor... Já te disse que você está linda hoje?
- Não, meu bem... Ainda não disse...
- Então eu digo agora: você está linda. Uma verdadeira princesa!
- Óin! Você também está lindo! Meu príncipe! 
- Hehehe... Hum... Ih... Olha lá, olha lá, Cássia!
- O que foi, Adriano?
- Na mesa à sua direita... Olha que loira...
- Nossa... Verdade...
- Gostosa, né?
- Muito! Que mulher! Deliciosa, mesmo!
- Olha aquelas pernas!
- Hummm... Que espetáculo... Pernões na medida certa, hein?
- Imagina aquilo na cama!
- Uau! Melhor nem pensar... E aqueles peitões, então?
- Maravilhosos! Que decote!
- Que delícia, meu Deus!
- E o cara que tá com ela também não é de se jogar fora, hein?
- É... É bonitinho... Mas não achei tudo isso...
- Ah, pára! Aquela barba dele... Nossa... Tudo de bom...
- Sei lá... Prefiro homem sem barba...
- Eu não... Sou louco por uma barba...
- Percebe-se...
- Até me veio aquela fantasia à cabeça...
- Ah, não, Adriano... Já conversamos sobre isso!
- Poxa, Cássia! Só uma vez! Só uma!
- Não, não é não! Não vou me fantasiar de Bin Laden... Não adianta insistir!
- Ah, meu bem... Por que não?
- Porque não! 
- Mesmo se eu...
- Se você...
- Se eu me vestir de Lady Gaga?
- Sério? Você resolveu aceitar? Até hoje você nem quis pensar no assunto!
- Não, repensei... Tá tudo bem... O que não faço pelo bem da nossa relação, né? Mas só me fantasio de Lady Gaga se você se fantasiar de Bin Laden... Se não, nada feito...
- Ai, ai... Tá bom, tá bom... Combinado, então?
- Combinadíssimo!

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Cavalheirismo

Leandro e Gilmar, conversando no ônibus:

- Sabe, Gilmar, ontem vi um cara aos berros com a esposa em plena rua.
- Hum...
- Não consigo entender esse tipo de tratamento.
- Pois é. Eu também não. Mas a gente vê muito disso por aí.
- Não sei onde foi parar a educação... 
- Verdade... Eu procuro sempre ser um "cavaleiro".
- Sim, sim... Acho que toda mulher deve ser tratada como uma verdadeira amazona.
- Hein? Não entendi...
- Nada, nada... Deixa pra lá...

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Cientista político

Dois rapazes na fila do banco:

- Nossa... Que fila demorada!
- Um horror. Estou há meia hora aqui, e mal saí do lugar.
- Pois é...
- Qual o seu nome?
- Odair. E o seu?
- Marcelo.
- Reparei a pasta da universidade... Também sou de lá.
- Poxa, que coincidência!
- Pois é... O que você estuda lá?
- Ciência Política.
- Ah... Então você quer ser político?
- Er... Não, não... Na verdade não...
- Hum...
- Bom... E você, o que estuda lá?
- Biologia Marinha.
- Ahã... Então... Você tá querendo ser uma água viva?

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Plataforma de campanha

Rodolfo Fontoura é o melhor candidato a vereador.

É jovem, fala bem, e é boa pinta.

Rodolfo Fontoura tem uma noiva gatinha e famosa.

Se ela o escolheu, por que você não o escolheria?

Rodolfo Fontoura é sangue novo na política!

É o candidato do PCP, o Partido da Causa Própria.

Vamos a algumas de suas propostas para a nossa cidade:

Saúde: Rodolfo Fontoura propõe uma lei que obriga todos os presentes a falarem "saúde" quando alguém espirrar.

Educação: Rodolfo Fontoura propõe a realização de um curso de capacitação dos professores da rede municipal com Glória Kalil: ela é autoridade quando se fala em finesse e boa educação!

Habitação: Rodolfo Fontoura encaminhará um projeto revolucionário para a habitação da cidade, o "Minha Maloca, Minha Vida", distribuindo folhas de jornal e papelão estilizado para os mendigos.

Segurança: Rodolfo Fontoura se compromete a apreender e consumir toda a droga vendida nos domínios do município; além disso, propõe a distribuição de máscaras do Capitão Nascimento para cada membro da Guarda Municipal: a bandidagem vai tremer!

Emprego: Rodolfo Fontoura propõe mais um programa revolucionário, o "Gabinete Carinhoso", criando muitos cargos públicos sem função alguma para empregar até o papagaio do eleitor.

Cultura: Rodolfo Fontoura propõe a criação da "Hora da Preta Gil" no rádio, para que os ouvintes desliguem o rádio e leiam um livro.

Já está mais do que provado, Rodolfo Fontoura é o mais preparado e com as melhores propostas!

Agora ninguém segura, é Rodolfo Fontoura na cabeça!

Vote Rodolfo Fontoura! 

Vote Partido da Causa Própria!

É 69666!

PS: Compareça ao grande comício de Rodolfo Fontoura! É no Zuleika's Drink Club! Consumação mínima de 25 reais, com direito a strip-tease ao vivo! Compareça! Venha manifestar o seu  apoio!

domingo, 12 de agosto de 2012

Não vendam Damião

Fernandão tem dado um bom jeito no Inter.

Mesmo com desfalques e sérias dificuldades para montar o time, está invicto no cargo.

Mais do que isso: o Colorado, ainda que dramaticamente debilitado, se mantém firme no bolo de cima da tabela.

A tendência, com a volta dos lesionados, com a chegada de Rafa Moura e o retorno de Damião, é de crescimento.

E é no artilheiro da Olimpíada que quero me deter.

Com a venda de Oscar, que por si só já é bastante questionável, o Internacional se coloca com a obrigação moral de manter Damião até o final do ano.

Uma venda do centroavante seria um verdadeiro tapa na cara do torcedor.

O Colorado não precisa vendê-lo neste momento.

A finalidade da contratação de Rafa Moura é o termômetro das ambições coloradas para o Campeonato Brasileiro.

Se o ex-centroavante do Fluminense vem para grupo, se vem para ser o reserva de Damião, é um imenso acréscimo.

Porém, se ele vem para substituir o jogador da seleção, é um preocupante decréscimo.

Chegou a hora de Luigi, Davi e cia. decidirem se, de fato, o Inter quer lutar pelo título nacional.

As chances coloradas passam diretamente pela manutenção do seu camisa 9, o melhor do futebol brasileiro.

Fica, assim, o apelo aos dirigentes do Sport Club Internacional: não vendam Damião.

Não agora. 

sábado, 11 de agosto de 2012

Bial na lan house

- Boa tarde, senhor.
- Boa tarde! Eis que estou aqui, nesta lan house, pronto para navegar! Navegar na internet, sim. Mas, mais do que isso, navegarei pelos mais revoltos mares, mares tecnológicos, mares do século XXI! Estamos na rede. Caímos na rede. Como pequeninos peixes que já não conseguem respirar. Somos o futuro no presente. Vamos teclar, e teclar, e teclar, meu amigo. Oh, essa lan house, estas almas em cada cabine, vidas que se observam e se deixam observar! Já fomos mais humanos, mas hoje somos máquinas! Máquinas que comandam outras máquinas! Somos essa "galera jovem" que faz tudo "na moral". Moral cibernética! Estou pronto para mergulhar, meu amigo! Mergulhar de vez nesta nova era. A era do Homo Facebookianus! Oh, meu amigo, já não me importo com mais nada! Adentrei o recinto com a mais forte das determinações pulsando no peito! Sim, acessarei a internet daqui! Viajarei pelo mundo sem sair do lugar! Oh, deleite que se mede em Gigabytes! Placa-mãe que jamais nos deixa órfãos! No login, a minha identidade! Eu existo! Eu sou um cidadão do mundo, mais do que nunca! Entrarei no meu e-mail, no meu Twitter, no meu Facebook! E, claro, aproveitarei para votar no Dilemas Cotidianos no Top Blog! Acessarei o link à direita da tela e exercerei meu sagrado direito democrático! E como não fazê-lo, com tantas facilidades? Sim, meu caríssimo amigo, poderei votar via e-mail, Facebook ou Twitter! Como diriam os jovens: "Uau! Que Radical!". Eis o encanto e a magia do mundo virtual! Virtual? Será que não há uma inversão nisso tudo? Oh, mundo virtual que se torna cada vez mais real, seja bem-vindo! Oh, mundo real que se torna cada vez mais virtual, até logo! Sou mais um sujeito internético! Sou mais uma arroba deslocada e tresloucada neste admirável mundo novo!
- Tá. Pode passar na cabine 2. 

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Top 5: os melhores temas de abertura/ encerramento de "Os Cavaleiros do Zodíaco"

Os Cavaleiros do Zodíaco foram uma marca muito grande da minha infância. Nos últimos anos, com o lançamento dos novos episódios, principalmente os das "Três Fases de Hades", essa paixão pelo anime se reacendeu de maneira muito forte. Pensando nisto, resolvi apresentar hoje o Top 5 de temas de abertura/ encerramento da série. 

A escolha das versões entre o japonês e o português foi bastante simples: optei por aquelas que eu considero melhores. Algumas versões em português são de chorar; outras, no entanto, são tão boas quanto, e até superam, as versões japonesas.

Pois bem, sem mais delongas, vamos à lista:

5º lugar: "Kami no sono", encerramento da fase "Hades- a Saga dos Campos Elíseos" (http://www.youtube.com/watch?v=8yT7qg8zFRM).

4º lugar: "Pegasus fantasy", a mais clássica das aberturas dos Cavaleiros (http://www.youtube.com/watch?v=Bu533OKYHyc).

3º lugar: "My dear", encerramento da fase "Hades- a Saga do Inferno" (http://www.youtube.com/watch?v=DxSbsP-N5lc).

2º lugar: "Soldier dream", abertura das fases de Hilda e de Poseidon (http://www.youtube.com/watch?v=wkIF8JucbCE).

1° lugar: "Pegasus forever", abertura das sagas do Inferno e dos Campos Elíseos, de Hades (http://www.youtube.com/watch?v=LumXMs1oVo8).

Bonus track: "Os guardiões do universo", primeira abertura da série no Brasil, na extinta Tv Manchete (http://www.youtube.com/watch?v=N1r_B3zqmN0).

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Lasanha

Roberto fazendo seu pedido no restaurante:

- Bom dia, eu gostaria de uma lasanha de calabresa.
- Senhor, não temos lasanha de calabresa.
- Ok... Me vê então uma lasanha de quatro queijos.
- Também não temos, senhor.
- Hum... Tá... Então eu quero uma lasanha de presunto e queijo ao sugo.
- Pois é... Não tem isso, também, senhor.
- Certo... Vai uma lasanha à bolonhesa, então.
- Não temos, senhor.
- Poxa vida! Nem lasanha à bolonhesa? Que tipo de restaurante é esse?
- Er... Senhor... Isso aqui é um restaurante japonês...
- Hum... Er... Pois é... Bom... E lasanha de sushi? Tem?

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Tas, o censor

Rafinha Bastos, no programa "Roda Viva", há mais de uma semana, disse que o CQC virou um programa de bundão.

Não disse nada mais do que a verdade.

Sem ele e sem Danilo Gentili, o programa virou uma espécie de antro da bundamolice nacional.

Marcelo Tas ficou irritadinho com a declaração do ex-colega.

Via Twitter, declarou: "Dúvida sobre o 'Roda Viva': Por que ao invés de assistir e julgar o 'CQC', esse rapaz não cuida do programa dele que vive às traças e traços?".

Não é de estranhar a postura de Marcelo Tas, de querer pautar a opinião alheia.

Foi apenas mais uma demonstração daquilo que ele realmente é.

Tas e o seu CQC, que tanto criticaram e ainda criticam atos de censura, censuraram Rafinha Bastos por causa de uma piada.

Agora, o careca se arroga o direito de definir o que os outros devem falar e o que devem fazer.

Rafinha Bastos cometeu uma crimideia.

Mais uma.

De cacetete na mão, Tas saiu imediatamente em repressão contra a manifestação de um colega com quem compartilhou a bancada do CQC durante mais de três anos.

Mais do que isso, espezinhou covardemente o SNL Brasil, programa que, apesar de todas as dificuldades, tem produzido humor de excelente qualidade na tv brasileira, com ótimas esquetes e um elenco cheio de bons talentos, como Rudi Landucci, Renata Gaspar, Marco Gonçalves, Marcela Leal, dentre outros.

Tas não se criaria na Rede TV!.

Tas, por sinal, não se cria nem para fazer humor.

Aos poucos deve abandonar este terreno, com o qual não possui grande intimidade.

Deve dedicar-se mais àquele programa em que abraça criancinhas.

É mais a sua cara.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Arte com lixo

Acessando o link http://www.hypeness.com.br/2011/02/arte-com-lixo/, me deparei com esse trabalho inusitado do casal inglês Tim Noble e Sue Webster.

Eles fazem arte com lixo.

Usam sucata, sacolas, latas, copos usados, entre outras coisas.

Deste lixo sai arte da maior qualidade! 

Suas esculturas formam, mediante luzes, imagens na parede.

Nota-se coisas interessantíssimas.

Pessoas pensativas.

A imagem de uma senhora lendo um livro.

Cabeças empaladas.

Tem até um cristo redentor!

E o casal não vai parar por aí.

Os dois já estão planejando novas esculturas com lixo.

Entre as ideias, um prédio com cds do Restart e uma fênix com dvds do filme "Cilada.com", do Bruno Mazzeo.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Bial passando na roleta do ônibus

- A passagem é dois reais e oitenta cinco, senhor.
- Oh, querido cobrador... Dois e oitenta e cinco! Eis o número cabalístico! É este o número que me levará aos recôncavos da cidade! Irei ao centro! Sim, o centro! Lá, onde tantas almas passeiam perdidas! Lá, onde buscamos nossa mais verdadeira redenção! Lá, onde as pastas, mochilas e bolsas dançam uma dança doce e amarga, com seus objetos, com suas histórias tão ricas e peculiares! Oh, amigo cobrador... Este ônibus, pra lá e pra cá, me levará ao mais lindo dos paraísos. Não há espíritos obscuros nesta condução! Oh, não há! Mesmo os que de pé estão, ajoelham-se em suas mentes, sedentos por mais, sedentos por lugares, sedentos por encontrar um coração que transborde da mais viva vontade de seguir! Ah, meu amigo... Quantas coisas presenciamos por aqui! O bêbado que regurgita ao final da noite! A criança com a passagem escolar logo cedo... Meia passagem, alegria completa de encontrar os coleguinhas, os amiguinhos que fazem essa construção tão maravilhosa e indescritível de uma personalidade humana! Oh, cobrador... Meu coração está aberto! Meu coração neste ônibus se coloca como um inefáv...
- Er, com licença, senhor... O pessoal tá esperando aí atrás pra passar também...
- Er... Tá... Certo... Tá aqui o dinheiro...

domingo, 5 de agosto de 2012

Bons cidadãos

Vitor e Cléber, conversando na parada do ônibus:

- E aí, cara? Já sabe em quem vai votar para prefeito? Ou seria prefeita?
- Ah, ainda não sei... Não ando muito ligado nisso...
- Poxa vida... Não pode ser assim! Tem que estar atento! Você não está sendo um bom cidadão!
- Bom... E você? Em quem vai votar?
- Não, não vou dizer. Não quero influenciar a sua decisão.
- Certo, certo... E no Top Blog... Já votou?
- Hum... Ainda não...
- Poxa vida... Não pode ser assim! Tem que estar atento! Você não está sendo um bom cidadão!
- Ah... Nem sei em qual blog votar...
- Bom, eu não me importo de influenciar a sua decisão... Sugiro votar no DC! Estou até fazendo campanha pelas redes sociais!
- Hum... É... Já vi esse blog... Até que é legalzinho!
- Então! Vota lá!
- Tá... Mas como eu faço pra votar?
- Ah, mais simples que urna eletrônica! É só entrar no DC, e clicar no ícone do Top Blog, à direita da tela! Depois, é só votar! Pode ser via Facebook, Twitter, e até pelo e-mail!
- Maravilha, então! Vou votar ainda hoje!
- Isso!
- Tá... Mas... Em troca... Vai pensando em quem vai votar nas eleições... É muito importante também. 
- Tá bom, tá bom... Prometo que vou começar a pensar sobre isso...