quarta-feira, 11 de julho de 2012

Pudim


- Querida, você viu isso no jornal?
- O quê, João?
- Essa receita de pudim.
- Ah, vi sim!
- Por que não faz um dia desses?
- Por quê?
- Porque eu gosto de pudim!
- E não gosta do meu pudim?
- Sim, gosto...
- Então por que está querendo outro?
- Ah, sei lá...
- Você anda comendo outros pudins na rua? É isso?
- Bem...
- É isso?
- Tá bom, tá bom... É que... Tem um pudim muito bom no restaurante em que eu almoço durante a semana...
- O quê? Você anda comendo pudim na rua mesmo? E ainda vem me dizer que é muito bom? É muita cara de pau! Acha que isso justifica?
- Er... Não... Desculpa... Por favor... Um dia eu ia ter que te contar...
- Há quanto tempo você tem comido esse pudim?
- Ah... Uns dois anos...
- Dois anos? Você me esconde isso há dois anos?
- Sabe como é... Era difícil de dizer...
- Inacreditável! E alguém mais sabe disso?
- Hum... É... Uma vez a sua irmã me viu comendo o pudim...
- Minha irmã? E ela não me contou nada? Não acredito! Não posso acreditar! Ela deve até rir da minha cara pelas minhas costas! Que vergonha, meu Pai do céu!
- Bom... Ai, meu Deus... Fica calma, tá? Mas... É bom deixar tudo às claras de uma vez... Er... Também andei comendo sagu... Mas faz menos tempo...
- Sagu também? E o meu sagu? Você sempre disse que o meu sagu era especial! Que nenhum era igual! Que jamais comeria outro sagu!
- Por favor, Luiza, me perdoa!
- Cretino!
- Por favor, meu amor! Não sei o que vai ser de mim sem o seu pudim e o seu sagu! Eu te imploro! Nunca mais como sobremesas na rua! Eu juro!
- Não, agora não adianta! Não gosta do sagu da rua? Não gosta do pudim da rua? Então vai lá! É lá que você vai achar! Pegue a sua colherzinha e o seu potinho e suma da minha frente!
- Mas... Amor!
- Suma daqui! Já!

Nenhum comentário: