segunda-feira, 9 de julho de 2012

Desprezo

Dizem que o desprezo mata. 

Discordo. 

O desprezo, definitivamente, não mata. 

Mas tortura.

O desprezo, exatamente por não ser letal, alcança a crueldade em seus mais minuciosos requintes.

O desprezo é a faca que se torce e retorce. 

O desprezo faz sangrar, pouco a pouco, até um final que nunca chega.

O desprezo é folha em branco, é céu nublado, é chuva que nunca molha.

O desprezo é o olhar que foge, é o ar blasé de momentos que nada significam.

O desprezo dói, mas não arde.

O desprezo é um relógio suicida, é um dia que se desmancha entre os dedos. 

Não é adição, não é subtração, é a dízima periódica que nunca se resolverá.

O desprezo é a mão que não mais toca a outra.

A palavra que não mais se profere.

A face nula de uma moeda que ninguém aceita.

O desprezo é a angústia levada de arrasto pelo chão.

O desprezo é a ausência.

Ausência que não mata.

Ausência que tortura.

4 comentários:

Anônimo disse...

TODO DESPRESO TEM UM MOTIVO!!

Bruno Mello Souza disse...

Olá, Anônimo!

Muito obrigado pela participação!

Volte sempre!

Abraço.

Anônimo disse...

Esse poema descreve perfeitamente esse sentimento cruel. Há um ano o meu melhor amigo não fala comigo nem me deixa aproximar. Éramos super amigos e inseparáveis e de repente tudo mudou. Qualquer que seja o motivo dessa atitude, as palavras ditas serviriam para aliviar o sentimento de desprezo que me atormenta. Se é esse o objetivo ele conseguiu. Mata aos poucos, sob lancinante tortura que não dá um momento de trégua. É mesmo uma faca encravada em várias partes do meu corpo, mais profundamente no coração. Um dia vai diminuir porque passar nunca irá, como todo ato de desprezo de que se gosta. Mas só queria saber de algum remédio para ao menos aliviar. Já tentei de tudo. desde elevar a tal auto-estima, remédios, meditação, leituras, conhecer novas pessoas, dar atenção para quem me dá etc etc. nada alivia nem passa.

Bruno Mello Souza disse...

Olá, Anônimo.

Entendo a tua dor. Mas deves seguir a vida, deixar as pessoas serem do jeito delas, e procurar aquilo que te faz bem, que te faz feliz.

Devem existir coisas que te trazem a sensação de satisfação. Busca fazê-las. E não deixa a vida passar assim.

Força pra ti.