domingo, 15 de julho de 2012

Certificado de existência

Na rua, um homem é abordado pelo policial: 

- Senhor, com licença...
- Pois não...
- Você está com a sua identidade aí?
- Sim, sim... Tá aqui!
- Ok. E o certificado de existência?
- Certificado de existência?
- Não se faça de bobo. O senhor está com o seu certificado de existência aí?
- Er... Não... Não tenho um certificado de existência.
- Não tem? Então lamento. Terei de levá-lo à delegacia.
- Mas...
- Terei de fazer isso. O senhor não existe. Logo, não pode ficar circulando livremente por aí. É um perigo para a vida civilizada.
- Ora... Mas... Você está dizendo que eu não existo, né?
- Positivo.
- Então... Como posso representar perigo para a sociedade? Como algo que não existe pode representar perigo? E mais: como você pretende prender alguém que não existe?
- Bem...
- O senhor está sofrendo de esquizofrenia. Sou psiquiatra. Enfermeiros, venham cá! Precisamos levá-lo!
- Mas... Mas...
- Lamento... Terei de levá-lo à nossa clínica.
- Mas... Por favor... Isso é um equívoco!
- Terei de fazer isso. O senhor conversa com pessoas que não existem. O senhor pensa que pode até prender pessoas que não existem. Logo, não pode ficar circulando livremente por aí. É um perigo para a vida civilizada...       
- Mas... Mas... Não! Por favor, não! Não me levem! Não! Isso é um engano! Por favor! Não! Não!

Nenhum comentário: