quinta-feira, 28 de junho de 2012

No táxi

- Pois bem, chegamos, senhor.
- Certo, muito obrigado! Quanto saiu a corrida, mesmo?
- Pois é... O taxímetro tá quebrado... 
- Bom... Me diga o valor que você achar adequado, então.
- Ah... Não vou cobrar dinheiro. Me dá só um abraço.
- Er... Quê?
- Um abraço! Só quero um abraço!
- Er... Não, não... Melhor eu pagar em dinheiro, mesmo. Me diga quanto.
- Um abracinho. Só isso. Um abraço!
- Sério... Pode dizer quanto custou a corrida, meu senhor.
- Custa só isso! Um abraço!
- Não, não vou dar um abraço. Tem que ser em dinheiro.
- Não quer me dar um abraço?
- Melhor não...
- Bom... Custou 100 reais a corrida, então.
- Hein?
- Ué... Você não queria um valor? 100 reais!
- Hum... Ah, vem cá! Deixa eu te dar um abraço! Vem aqui, vem! Isso... Mais forte, mais forte! Isso! Que abraço gostoso! Óin! Até mais! Muito obrigado, viu?

Nenhum comentário: