sexta-feira, 1 de junho de 2012

Amarga queda

Acorda-se do sonho.

Depara-se novamente com o pesadelo da existência.

E tudo parece ter ficado pelo caminho.

E tudo parecia ser tão bom...

Más notícias, ele se olha no espelho.

Levitou, sim.

Mas já caiu.

E cairá de novo.

E de novo...

E de novo...

Agora ele sangra no chão.

Não sabe o que fazer.

Ele nunca sabe...

Ele nunca sabe...

Vai se apagando...

Se apagando...

Tranca o coração numa gaveta.

Mas as rachaduras permanecerão ali.

Esse menino travesso e desobediente não deveria ter ficado por lá aquele dia...

Nenhum comentário: