terça-feira, 1 de maio de 2012

Tango desafinado

Pedro e Sérgio, conversando na lancheria:

- Pedro, ontem finalmente "rolou" com a Sandra!
- Opa! Aquela bonitona do seu trabalho? E como foi?
- Olha... Tava indo bem... A gente saiu, jantou, se divertiu, e fomos para a minha casa. Daí a coisa esquentou. Mas as mulheres às vezes pedem umas coisas que são pra matar...
- O que aconteceu?
- Estava tudo perfeito. Muito bom mesmo. Eu estava executando todos os movimentos com extrema precisão, e ela estava gostando. Daí... Ah, fica difícil dizer...
- Fala! O que houve?
- Tá bom... Tá bom... Ela... Pediu pra eu fazer que nem o Marlon Brando...
- Peraí, peraí, peraí! Tá falando daquilo? 
- Sim! Daquilo! Da manteiga!
- Uau! E aí?
- Sabe... É muita falta de sorte... Eu não tinha manteiga em casa.
- Nossa... E aí o que você fez? Explicou a situação?
- Não. Tentei improvisar.
- Improvisar? Como?
- Er...
- O que você fez?
- Passei maionese.
- Quê? Maionese? Que doentio! Que nojo! No que você tava pensando?
- Eu sei, eu sei... Na hora da ansiedade foi a única coisa que me veio à cabeça.
- E ela?
- Ué... Ela disse: "O que você pensa que tá fazendo, seu imbecil?", e saiu correndo.
- Poxa... Que pena... Da próxima, quem sabe tenta um requeijão...
- Ha ha ha... Muito engraçado... Agora vai ser difícil encará-la no trabalho.
- É... Vai ser complicado, mesmo.
- Poxa... Que falta de sorte...
- Sorte até pode faltar de vez em quando... Mas manteiga, nunca!
- Pois é...

Nenhum comentário: