domingo, 27 de maio de 2012

Dorival e a premissa da derrota

O Inter empatou em 3 a 3 com o Flamengo, no Engenhão.

Chegou a estar perdendo duas vezes, e dentro do cenário do jogo, o resultado não foi desprezível.

Mas, dentro do contexto do campeonato, o empate foi ruim.

O Colorado podia tranquilamente ter vencido um Flamengo claudicante.

Mas Dorival quis fazer o que evidentemente daria errado, colocando três volantes em campo.

Obviamente, deu errado, e o Inter jogou no lixo 45 minutos da sua história.

Com uma escalação mais racional na segunda etapa, a reação veio, e o time vermelho igualou o marcador.

Dava pra ter ganho.

Porém, Dorival, em seu discurso pós-jogo, em nenhum momento mostrou ter tido essa expectativa.

Deixar o time com três volantes, para ele, foi estratégico para, no caso de estar perdendo, ter opções no banco.

Ô, pensamento tacanho!

"Mexe bem o treinador que escala mal".

Nem sempre, e nem a todos, se aplica esta expressão.

Mas ao Dorival de ontem, cai como uma luva.

O treinador colorado, mais uma vez, colocou sua equipe como derrotada antes de entrar em campo.

Sua premissa é a derrota.

Compra o caixão antes do remédio.

Para a sua mentalidade, tudo correu às mil maravilhas, e o resultado foi magnífico.

Resta perguntar apenas se esta mentalidade é suficiente para construir um time Campeão Brasileiro.

Desconfio que não.

Nenhum comentário: