quarta-feira, 25 de abril de 2012

Hoje começa um novo campeonato para o Inter

Esta noite, o Inter enfrenta o Fluminense pelas oitavas-de-final da Libertadores, no Beira-Rio. É a primeira partida do duelo que definirá um dos oito melhores times do continente.

Toda a imprensa do centro do país destaca o favoritismo do Fluminense. E o faz com razão. Enquanto o Tricolor carioca fez a melhor campanha da primeira fase, o Inter fez a pior, apresentando um futebol muito abaixo da média. 

Entretanto, a partir de agora o campeonato é outro. É lá e cá. Ou vai ou racha. Agora, a Libertadores, mais do que nunca, torna-se uma Copa. E de Copas, o Inter entende. 

Para conquistar a vantagem, o Colorado terá de apresentar muito mais futebol e disposição do que vem apresentando até agora na temporada. Não há mais espaço para atuações apáticas, para desleixos, e para erros bobos de escalação.

Chegou a hora de se doar ao máximo, e de também jogar o máximo possível. Mesmo sem D'alessandro (de Oscar nem falo mais, pois o garoto, no momento NÃO É do Internacional), qualidade o Inter tem. Ou alguém duvida da capacidade de atletas como Kléber, Tinga, Guiñazu, Dátolo, Dagoberto e Damião?

No entanto, a superação do Colorado logo mais passa não somente pela comissão técnica e pelos jogadores: passa pela torcida. A massa vermelha, como em tantas outras ocasiões, terá de se superar também. Terá de apoiar o tempo todo, esquecer uma ou outra bronca pontual, e tornar a vida do Fluminense um inferno. Terá de fazer alguns atletas recordarem, caso tenham em algum momento esquecido, a camisa que estão defendendo.

Quando torcida e time formam uma coisa só, no Gigante, o Inter se torna praticamente imbatível. Ligue-se o fogão, ora pois: a panela de pressão tem que esquentar.

Nenhum comentário: