quinta-feira, 19 de abril de 2012

Classificação constrangida

O Santos classificou o Inter, esta noite. Da parte do Colorado, nada de positivo foi feito. Num jogo ruim, com um adversário ruim e eliminado, num gramado (?) ruim, com um juiz ruim, o Inter conseguiu ser pior.

A partida em Chiclayo foi inqualificável. O Internacional foi horroroso. Não foi um time de futebol: foi um amontoado amorfo de jogadores. Nenhum setor foi bem. Nenhum jogador foi bem. Mas há aspectos que devem ser ressaltados, pois, dentro da imensa porcaria que foi a equipe colorada, foram ainda mais fétidos.

Na defesa, Bolívar... Ah, o velho Bolívar! O General foi o que vem sendo há mais de um ano: uma piada de mau gosto. Qualquer adversário, tenha o nível técnico que tiver, passa brincando pelo lerdo zagueiro. São indiscutíveis os bons serviços prestados por Bolívar ao Inter. Mas é ex. Sempre que chamado, compromete. E não só compromete individualmente, mas, devido à insegurança que passa, compromete geralmente a atuação de Nei, de Índio, e de mais um volante (hoje, Sandro Silva). Se um criado-mudo tivesse sido escalado no lugar de Bolívar, jogaria mais. Mas o criado-mudo, infelizmente, não foi inscrito nessa fase da Libertadores.

O meio campo foi lamentável. Com seus volantes perdidinhos, perdidinhos, cedeu generosos espaços ao adversário. Não conseguia trocar três passes seguidos. D'alessandro e Dátolo entraram em campo. É importante enfatizar. Não fosse tal ênfase, ninguém teria percebido suas pálidas presenças. Os gringos não jogaram absolutamente nada. Jajá e João Paulo entraram para compor setor, no segundo tempo. E pouco modificaram o panorama.

Para finalizar o imenso niilismo futebolístico que foi o Inter esta noite, uma dupla de atacantes completamente inoperante. Damião, é bem verdade, pouco recebeu a bola. Mas quando a recebeu, tomou uma surra de laço da Dona Nike. Gilberto, por sua vez, mostrou, como é usual, aguerrimento, vontade, movimentação. Mas tem sérias precariedades técnicas. Foi substituído por Jô. E o Jô, apesar de quase marcar um gol na única (raios!!!) chance criada pelo Inter no jogo, já pra lá dos 40 da segunda etapa (raios triplos!!!), foi aquilo que já nos acostumamos a ver: um estorvo que só faz número em campo, uma espécie de poste vivo.       

Após um jogo absolutamente constrangedor, fica uma classificação constrangida. Dos classificados, o Inter foi o pior. Pouco, muito pouco para quem almeja o título. A julgar pela atuação de hoje, não terá vida longa no restante da competição. Se continuar jogando essa bolinha de sagu, será eliminado pelo Fluminense perdendo no Beira-Rio e no Engenhão. Mas pode melhorar. E tem que melhorar. Melhorando, aí sim, renovam-se as expectativas. 

Agora, começa um novo campeonato. E o Colorado terá de apresentar uma nova atitude. Será necessário o grito da torcida. Será necessária a camisa Bicampeã da América. E será necessária mais qualidade. Muito mais do que vimos no partideco de hoje.

Nenhum comentário: