domingo, 5 de fevereiro de 2012

Vale mais para o Grêmio

O Gre-Nal desta noite é inegavelmente um Gre-Nal de desiguais. O cenário é completamente diferente entre os dois clubes.

O Grêmio joga em sua casa. Joga com sua força máxima. Passa por um período de sérias instabilidades. Possui um treinador que ainda não se afirmou no cargo. E ainda não se consolidou como equipe na temporada, até pela grande mudança ocorrida em sua fotografia. O Grêmio joga pressionado.

Já o Inter, ao que consta, entrará em campo com time reserva ou, no máximo, misto. D'alessandro, já está confirmado, não joga. O Colorado tem seu foco na Libertadores. O Gre-Nal tem sua importância limitada ao fato de ser um Gre-Nal. O Internacional será franco-atirador. Se ganhar, terá a satisfação de, à meia-boca, superar seu maior rival. Se perder, praticamente nada se alterará no que diz respeito ao andamento do restante da temporada.

O clássico de logo mais é o confronto do sangue doce com o sangue quente. Um revés para o Tricolor pode representar uma crise de proporções no mínimo razoáveis. Por isso mesmo, o peso sobre as costas dos jogadores do Grêmio será muito maior. Para o Inter, é apenas a oportunidade de aprontar na casa alheia. De qualquer modo, ainda que seja um jogo caracterizado pela desigualdade em termos de importância atribuída, o Gre-Nal de hoje será, sim, uma partida interessante. Gre-Nal sempre guarda suas peculiaridades, sempre tem histórias muito próprias. Quais serão as deste? 

2 comentários:

Anderson dos Santos disse...

Excelente jogo. Mas como um bom rubro-negro, torcerei pelo Inter (que ainda tenta descontar no Sport a pisa que levou na Copa do Brasil em 2008).
Sim, estou lhe seguindo. Me segue também?
Meu blog é: http://jcrecife.blogspot.com/

Abraços

Bruno Mello Souza disse...

Olá, Anderson!

Tua torcida pelo Inter, não só hoje como sempre, será bem-vinda.

Lembro bem dessa eliminação colorada na Copa do Brasil. Mas é da vida.

Torci muito pelo Sport naquela decisão contra o Corinthians, com quem nós, colorados, temos uma rivalidade bastante peculiar, graças àquele Brasileirão de 2005, até hoje pra lá de mal explicado.

Buenas, um grande abraço, e obrigado por seguir o blog!

Volte sempre!