terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Um casal, uma mesa, e o mal-estar

O clima era tenso naquela mesa.

Cristiano e Estela apenas se entreolhavam.

Nada direto.

O mal-estar era imenso.

Ela ainda tentava dissimular.

Mas ele não conseguia.

Seus olhos um tanto transtornados apresentavam da maneira mais clara e crua o que estava sentindo.

A agonia e a angústia transbordavam.

Não havia como digerir aquilo, não mesmo.

O limite estava ali, havia chegado certeiro, inapelável.

Aquela falta de palavras sepulcral apenas fazia o ambiente pesar mais.

Já não era mais suportável.

Cristiano, então, rendeu-se.

Aquela dor aguda que vinha de seu âmago o fez romper o silêncio.

Era a atitude certa a ser tomada.

"Vou ali na farmácia comprar um sal de frutas. Você quer um, também?", perguntou.

"Quero sim. Comi demais. Essa lasanha era muito grande", respondeu a moça.

E ele rapidamente recolheu a carteira e saiu porta afora.

Nenhum comentário: