quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Classificação que dá moral

Já se esperava que não seria fácil. E realmente não foi. O Inter teve que lutar muito para se classificar para a fase de grupos da Libertadores. E se classificou.

O bom Once Caldas começou o jogo em ritmo alucinante. Logo com um minuto de jogo teve pênalti a seu favor, convertido por Nuñez. Até os dez minutos, o Colorado inexistiu em campo. Acuado, jogou de maneira ridícula. Mas achou um pênalti, num passe brilhante de D'alessandro (ele faz a diferença, e como faz!) para Oscar, que foi derrubado. "El cabezón" deslocou o goleiro e igualou o marcador. 

A partir daí, as ações se equilibraram, e o Inter passou a exercer leve domínio. O bom toque de bola colorado foi o ponto forte. E, assim, tocando a bola, o alvirrubro marcou o segundo: em linda construção ofensiva, Tinga virou a partida. Logo em seguida, porém, o time da Colômbia voltou a empatar com González, que passou pelo hoje horroroso Nei da maneira que quis.

Depois disso, o jogo ficou absolutamente franco. O Inter não se apequenou. Trocou golpes com o Once Caldas. Criou muito mais chances claras, inclusive. E desperdiçou todas. Ao final da partida, a justa classificação estava conquistada. E não é uma classificação qualquer. O Colorado passou por um Campeão da América. Chega com moral a uma fase de grupos que pode ser traiçoeira. Se o Santos é o grande rival, os demais times, a princípio coadjuvantes, podem incomodar como mandantes, tirando pontos preciosos dos brasileiros. Tanto Juan Aurich quanto The Strongest jogam na altitude. É sempre complicado. É sempre perigoso.

Mas a vida é assim mesmo. Quem quer ser Campeão da América tem que passar por cima de todo e qualquer obstáculo. O Inter tem experiência, força e qualidade para encarar os desafios que vêm pela frente. Provou isso ontem à noite. E entra, sim, como sério candidato à Libertadores 2012.  

Nenhum comentário: