segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Chaves politicamente incorreto

Hoje resolvi fazer um exercício mental um tanto curioso e instigante: decidi encarnar o espírito da patrulha do politicamente correto e, por meio deste tipo de olhar, analisar um episódio do Chaves ("Vamos a Acapulco"). Sim, do Chaves! É uma questão de justiça, correção e honestidade intelectual. A patota politicamente correta não pode (ou pelo menos não deveria) poupar ninguém de suas severas e carrancudas análises. Como não vi ninguém da dita patrulha fazer isso até hoje, faço eu. Vou, assim, provar que qualquer coisa, se vista com o combustível da má vontade, da ranzinzice e da paranoia, pode ser vista como prática de humor agressivo à cidadania. Inclusive Chaves, considerado por todos como um programa "do bem", inocente e recomendável para toda a família. Quem quiser tirar a teima, pode procurar o referido episódio no Youtube. Vamos apurar, então, as "irregularidades"? 

1. Dona Florinda diz que Chaves chegou tarde na distribuição de cérebros: apologia à prática de bullying, e violência psicológica contra uma criança.

2. Chaves dá uma bolada na cabeça do Seu Madruga: apologia à violência.

3. Seu Madruga leva a bola do Quico para casa: apologia à prática de furto.

4. Dona Florinda dá um tapa na cara do Seu Madruga: apologia à violência.

5. Quico agride fisicamente o Seu Madruga, chamando-o de gentalha: apologia à violência e ao ódio de classe.

6. Seu Madruga dá um soco na cabeça do Chaves: apologia à violência.

7. Dona Florinda refere-se ao Seu Madruga e à Chiquinha como "gentalha": apologia ao ódio de classe.

8. Chiquinha debocha de Quico, por causa de seu traje de banho: apologia à prática de bullying.

9. Quico puxa o cabelo de Chiquinha: apologia à violência contra a mulher.

10. Quico dá um soco na cara do Chaves: apologia à violência.

11. Chaves tenta dar um soco no Quico, e acaba acertando o Seu Madruga: apologia à violência.

12. Dona Florinda dá um tapa na cara do Seu Madruga: apologia à violência.

13. Dona Florinda refere-se ao Seu Madruga como gentalha: apologia ao ódio de classe.

14. Quico bate no peito do Seu Madruga e o chama de gentalha: apologia à violência e ao ódio de classe, no mesmo gesto.

15. Quico dá um soco na cara do Chaves: apologia à violência.

16. Chaves dá três socos na cara do Quico: apologia à violência.

17. Chaves compara o ronco do Seu Barriga ao som de uma descarga desarranjada: apologia à prática de bullying.

18. Chiquinha chama Dona Clotilde de bruxa: apologia à prática de bullying, e desrespeito para com os mais velhos.

19. Quico empurra Chiquinha na piscina: apologia à violência contra a mulher.

20. Seu Madruga empurra Quico na piscina: apologia à violência infantil.

21. Dona Florinda dá um tapa na cara do Seu Madruga: apologia à violência.

22. Dona Clotilde empurra Dona Florinda na piscina: apologia à violência.

E agora? Será que deu pra entender que humor não deve ser levado tão a sério, e ao pé da letra? Será que deu pra compreender que piadas e esquetes são tão somente isso, piadas e esquetes? OU VÃO QUERER CENSURAR O CHAVES TAMBÉM?

8 comentários:

Jhon Acaz disse...

vai tomar no teu cú seu viadinho de merda
apologia a dizer a verdade, que vc é é um otario q nao sabe porra nenhuma da vida

Bruno Mello Souza disse...

Excelentes argumentos, Jhon. Dá pra notar que és uma pessoa extremamente bem educada e inteligente. Parabéns.

rockdosul disse...

Legal! isto nos mostra que humor é humor! não deve ser levado a sério! um exemplo clássico é o do bebe da wanessa camargo, se não tivessem levado a sério, só quem assistiu o programa naquele dia tinha escutado, e todos ja tinham esquecido. e do jeito que foi feito a polêmica a criança vai sempre ser lembrada por esta piada, que a meu ver foi um elogio a wanessa.

Bruno Mello Souza disse...

Concordo integralmente, rockdosul.

Abraço.

Éricles Nascimento de Souza disse...

23. As crianças (e os adultos as vezes)chamam Seu Barriga e Nhonho de gordos e fazem piadas em relação ao peso deles: apologia à prática de bullying.

24. As crianças (e também os adultos as vezes) fazem piadas em relação a altura do Professor Girafales: o mesmo motivo do anterior.

Bruno Mello Souza disse...

Ótimas observações, Éricles.

Abraços.

Anônimo disse...

Nossa...não vou levar a sério, mas nem sei mais no que acreditar

Bruno Mello Souza disse...

Anônimo, o texto é uma ironia à Polícia do Pensamento. Não é para ser levado a sério, mesmo. A Patrulha do Politicamente Correto, essa sim, tem que ser levada a sério, porque é extremamente nociva às liberdades de expressão e de pensamento.