domingo, 4 de dezembro de 2011

A obrigação é do Inter

O Gre-Nal de logo mais promete grandes emoções. Vale vaga de Libertadores para o Inter. Pelo tamanho da sua folha, e pela quantidade absurda de pontos ridiculamente perdidos, o time colorado já devia ter assegurado esta vaga há algum tempo. Mas não o fez, e ficou tudo para o clássico.

Dessa forma, agora o time vermelho e branco ficou com a inadiável responsabilidade da vitória. O Inter terá um Beira-Rio em ebulição a seu favor. Terá a motivação de mais uma participação em Libertadores. Já o Grêmio joga de sangue doce. Para o time tricolor, a partida vale tão somente atrapalhar a vida do Colorado, o que, para ele, não chega a ser grande novidade, pois nos últimos dez anos suas únicas alegrias são provenientes das tragédias alheias. 

Para conquistar a vaga, a equipe alvirrubra ainda terá de contar com resultados paralelos, resultados estes que não têm nada de improvável: o Flamengo, concorrente direto, enfrenta o ótimo Vasco, que ainda luta por título; e o Coritiba, outro postulante à vaga, e que está à frente do Inter, encara um Atletiba histórico, contra um Atlético desesperado, em uma Arena da Baixada lotada.

Com isso, o que resta? Resta que o Inter, sim ou sim, tem que se entregar de corpo e alma no Gre-Nal. O Inter tem que fazer a sua parte. Tem mais qualidade que o Grêmio. E não pode, de forma alguma, estar menos motivado que um time que não joga por nada para si, e está com um treinador que já garantiu que esta é sua última partida em seu comando. Gre-Nal é Gre-Nal, já diria o filósofo. É clássico, e, enquanto clássico, guarda seus mistérios e imprevisibilidades. Mas, ainda assim, ainda considerando todos os ingredientes inerentes ao confronto de maior rivalidade do país, cabe ressaltar: a obrigação, caríssimos amigos, é toda do Inter. 

Nenhum comentário: