quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Nádegas

Pedro e Sérgio, conversando na lancheria.

- Pedro, você viu aquela do parapsicólogo especialista em nádegas?
- Não, não vi...
- Ele é cego, e diz que consegue decifrar detalhes da vida das pessoas apalpando suas nádegas. Não é interessante?
- É exótico, isso sim. Mas não vejo grandes méritos.
- Uau... Como assim? Não sei se é um dom de verdade, mas, se for...
- Não, não... Eu também conseguiria saber detalhes da vida de uma pessoa examinando as nádegas. Posso, por exemplo, saber se ela gosta de comidas gordurosas. Posso saber se os homens olham pro traseiro dela. Se estiver fedendo, eu sei que ela é porca. E podia facilmente fazê-lo de olhos fechados. Viu só? O mérito não é tão grande...
- É, visto por esse ângulo...
- Imagine se tivesse que existir uma graduação em "Bundologia"...
- Seria divertido.
- Nem sempre, meu querido amigo... Claro, teria cadeiras legais... Introdução à Nadega. Bundas Malhadas I e II. Mas também teria disciplinas não tão legais assim: Bunda de Gelatina I, Bunda Casca de Laranja I e II... 
- É... Seria um curso bizarro...
- A saída de campo seria uma ida à praia. E as referências bibliográficas seriam edições da Playboy e da Sexy!     
- Podiam também incluir, sei lá, a Peitologia. Ficaria mais abrangente.
- Não, nem pensar! Vivemos a era da especialização. Até poderia haver uma certa interdisciplinaridade. Mas tinha que ser separado. Haveria muitos atritos na área.
- Ah... Mas atritos de peitos e bundas são legais...
- Nem sempre, Sérgio... Depende dos peitos. Depende das bundas.  

Nenhum comentário: