segunda-feira, 13 de junho de 2011

Algumas constatações depois da partida de ontem

O Inter ontem realizou sua quarta partida no Brasileirão. Parece pouco. Algumas conclusões podem parecer precipitadas. Mas o campeonato está em andamento, e algumas coisas precisam ser urgentemente corrigidas. Nem falo mais em perspectiva de título. Falo em algo mais amplo, projetando já a próxima temporada, já que a atual já ganha ares melancólicos: o Inter parece fadado a ser coadjuvante no Brasileirão 2011. Algumas constatações são inevitáveis:

1. Renan não pode ser titular do Inter: o goleiro, desde que voltou ao clube, tem uma média de falhas por número de jogos absolutamente assustadora. Ele não consegue passar três jogos seguidos sem falhar.

2. Nei não tem as mínimas condições de ser titular na lateral direita colorada: ele é fraquíssimo. Tem raça. E só. Não sabe marcar e não tem qualidade no apoio. Os adversários fazem a festa pelo seu lado.

3. Bolívar já não tem as mínimas condições de jogar futebol em alto nível: para clubes médios, ele ainda pode servir. Para a necessidade do Inter, não. Se arrasta em campo, e tem tido atuações constrangedoras. Está jogando no carteiraço. Prestou grandes serviços ao clube. Mas não dá mais.

4. Rodrigo não pode ser titular: como reserva, até pode quebrar um galho. Mas está longe de suprir as necessidades defensivas do colorado. Ao lado do horroroso Bolívar, forma uma defesa desastrosa.

5. Guiñazu não pode ser primeiro volante: não tem o cacoete da função. Está sempre fora do lugar, e abusa das faltas. Até mesmo sua titularidade poderia ser repensada. Há mais de um ano, não joga o mesmo que jogava outrora. Tecnicamente, anda muito mal.

6. Tinga é ex: e, como ex, não pode ser titular. Chega a ser deprimente ver um jogador que já nos deu tantas alegrias jogar uma bolinha tão curta quanto tem jogado desde que chegou.

7. D'alessandro está devendo: é um craque. Mas precisa de uma sacudida. Parece acomodado.

8. Zé Roberto não é atacante: é bom jogador, sim. Mas o colorado precisa de um atacante mais característico, que não apenas se movimente, como Zé Roberto se movimenta, mas que também finalize mais. Este jogador me parece mais adequado como opção quando da ausência de Oscar, como quarto homem de meio campo.

9. De boas notícias, mesmo, só Oscar e Damião: o centroavante já é uma realidade. Está carregando o time nas costas com seus gols. E Oscar é extremamente talentoso e insinuante. Sua titularidade é inquestionável, no mar de mediocridade no qual o colorado anda mergulhado.

10. Com tudo isso, colocar a culpa toda em Falcão é covardia: são muitos os problemas. Se é verdade que o colorado ainda está sem padrão de jogo, também é verdade que o atual treinador tem tido muitas dificuldades de superar certas relações viciadas que parecem existir no interior do vestiário. O problema é muito mais profundo do que treinador. Na atual toada, o Inter poderia contratar Mourinho ou Guardiola que muito pouco mudaria. Há uma questão estrutural na política de futebol colorada que precisa ser enfrentada, para o bem do clube.

Os problemas são inúmeros, como se pode ver. Espero estar errado, mas acho que este Brasileirão já era para o Inter. Jogando a bola que está jogando, brigará pra não cair. É muito jogador decadente num time só. A consequência é um time sonolento e lento em campo. Uma vez que, do jeito que está, o colorado não deve chegar a lugar algum, talvez seja a hora de fazer uma renovação. Pelo menos com isso, o Inter começa a se oxigenar para a próxima temporada, e vai levando a atual para ter dignidade e ficar entre os dez. Como diria o filósofo: pior que tá, não fica.

Esta renovação é fundamental, e é algo que o São Paulo vem fazendo desde o início do ano: é uma atitude custosa, difícil, que exige certa paciência, mas que já começa a dar resultados no tricolor paulista. É este o caminho que o colorado precisa seguir.

No gol, o Inter tem que trazer um goleiro de qualidade comprovada. Se não houver opções de mercado, o negócio é apostar nos jovens, como Muriel, já que Lauro parece estar de saída.

Na lateral direita, o Inter tem que contratar. Ou apostar em Alisson.

Na zaga, seria importante contratar um jogador pronto que pudesse formar dupla com Juan, ou mesmo com Rodrigo Moledo. Colocar os dois jovens ao mesmo tempo seria uma temeridade. Ficar com Bolívar, Rodrigo ou Índio, qualquer um deles como titular, também.

No meio campo, Bolatti, mesmo em má fase, é titularíssimo na primeira volância. Seria bom também começar a dar espaço aos jovens, mesmo que aos pouquinhos.

No ataque, Gilberto, mesmo com a pequena amostra, parece a melhor opção disponível no elenco. Tem velocidade, é aguerrido, e até agora não parece ter sentido o peso da camisa: ele vai pra cima e não quer nem saber. Mas não seria nada mau se o Inter providenciasse um atacante de peso para fazer companhia ao Damião.

O momento é crucial e o colorado tem que dar uma guinada na sua visão de futebol. O time e o elenco precisam ser oxigenados. Os atuais medalhões já nos deram muitas alegrias. Mas passaram. Já não conseguem render o que deles se espera. O Inter pode ser grato a eles, reconhecê-los, sim. Mas fora de campo. Dentro das quatro linhas, eles têm comprometido.

Cabe perguntar se os atuais dirigentes terão a coragem e a disposição necessária para fazer esses ajustes. Infelizmente, acho difícil...

Nenhum comentário: